quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

“COM ESTES TREZENTOS VOS LIVRAREI”


No texto de Juizes 7.7 temos esta palavra de Deus dada a Gideão. Meditemos sobre o assunto.
Mais uma vez Israel se desvia dos caminhos do Senhor, se envolvendo com outras nações e pecando contra Deus. O pecado cometido por Israel contra Deus o levou ao estado de escravidão. Os midianitas roubavam suas colheitas, tomavam seu gado e os forçava a se esconderem em covas e cavernas. Debaixo de tamanho julgo os Israelitas clamam ao Senhor na angústia, e mais uma vez Deus lhes é compassivo e misericordioso. Deus está sempre pronto a abençoar seu povo quando este o busca de todo coração. O profeta Jeremias enfatiza: “E buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.”

1. A situação do povo de Deus.
Fizeram o que parecia mal aos olhos do Senhor (Jz 6.1);
O Senhor os entregou nas mãos dos Midianitas por sete anos (Jz 6.1);
Os inimigos destruíam de Israel toda a novidade da terra e não deixavam nem ovelhas, bois e jumentos (Jz 7.3,4);
Chegando a empobrecer muito pela presença dos inimigos (Jz 6.6);

2. Israel Clama ao Senhor
Este foi o ultimo recurso de Israel, e só o fez devido a opressão que sofria (v.7);
Israel só buscava ao Senhor nos momentos de aperto;
A fé dos israelitas não era originada no amor e gratidão a Deus, mas em desejos e ambições egocêntricas;
Somos exortados pelo Senhor a buscá-lo não apenas por aquilo que recebemos ou por aquilo que ele tem feito por nós, mas porque realmente o amamos;

3. Deus levanta um homem chamado Gideão. Quem era Gideão?
Gideão vivia em Ofra, povoado que ficava ao sul do vale de Esdrelon (v.11);
Gideão trilhava o trigo, não na eira publica, por medo dos Midianitas, mas num lugar escondido (v. 11);
A saudação do anjo foi profética, pois, naquele momento Gideão não era corajoso nem esforçado (v.12);
Gideão culpou Jeová pelos acontecimentos sucedidos, não percebendo que Israel havia se esquecido de Deus (v.13).

4. A prova de Gideão e os passos para a vitória.
Gideão derruba o altar de Baal por ordem do Senhor (vv. 25-29);
O Espírito do Senhor reveste Gideão (v.34);
Gideão faz prova de Deus com o velo de lã (v.36-40).

5. A Guerra e a vitória de Gideão.
O exército de Israel era inicialmente composto de 32.000 israelitas;
Jeová viu que Gideão tinha soldado demais para o tipo de vitória que ele queria lhe conceder (v.2);
O exercito de Gideão era composto de muitos homens medrosos e tímidos que receberam ordens para voltar (v.3;Dt 20.1-8);
Ficaram então, dez mil soldados, que embora fossem valentes e corajosos Deus quis reduzir ainda mais o seu exercito (v. 4; 1Sm 14.6);
Deus queria tratar com os mais aptos, então envia os dez mil às águas para ali os provar (v.4);
A palavra de Deus a Gideão é: “aquele que lamber a água com sua língua como o lambe o cão, põe de parte” (v.5). Como também todo aquele que se abaixar de joelhos a beber (v.5);
Desses dez mil que foram à fonte, apenas 300 lamberam as águas levando a mão à boca (v.6);
Estes trezentos estavam aptos. Em todo o momento estavam estes preparados para responder ao seu chefe;
Então disse Deus a Gideão: “Com estes trezentos os livrarei” (v.7)

6. Lições que podemos extrair deste episódio.
A igreja não precisa de pessoas indispostas a ariscar-se na obra do Senhor;
Numa guerra espiritual a qualidade é mais importante que a quantidade;
Deus queria atribuir a vitória para glória do seu nome e não à glória de homem algum (1Sm 14.6)

Conclusão: Você está disposto a fazer parte deste pequeno grupo de homens, porém, capazes de lutar em prol do reino de Deus seja qual for à situação? Deus está recrutando soldados que tenham disposição para lutar. Aqui e agora, venha fazer parte deste exército qualificado e preparado para vencer.

Pr. Nonato Souza.

HORA DE RENOVAR AS FORÇAS


O texto de Isaias 4.28-31, nos fala sobre a renovação das nossas forças. É interessante observar o que diz especificamente o versículo 29, no qual meditaremos: “Dá vigor ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor”. Um ano se finda e outro ano se aproxima, olhamos com perspectivas e até fazemos planos, desejando realizar algo mais para Deus e seu Reino aqui na terra. Sabemos que para isso precisamos manter as nossas forças sempre renovadas. Qual seria a razão de permanecermos sempre ativos, sem esmorecer, na obra e no caminho do Senhor, mesmo quando enfrentamos momento de crises e terríveis adversidades? A Escritura, nos dar resposta a esta pergunta. Há um Deus no céu, que domina sobre todo o Universo, o seu braço forte e estendido cerca todos os que lhe pertencem.
Um princípio básico para termos as nossas forças renovadas é esperarmos no Senhor. Esperar no Senhor é confiar nossa vida plenamente às suas mãos. É depender dele como nossa fonte de ajuda e de graça, em tempos de necessidades (Sl 25.3-5; Lc 2.25,38). Precisamos exercitar a nossa fé nas promessas de Deus, encomendando a nossa vida por inteiro a Ele, o que significa que sempre que necessitarmos de socorro Ele será a nossa fonte segura de ajuda (Sl 116).
Deus conhece a nossa estrutura e a necessidade que temos de constante renovação em meio ao cansaço e à fraqueza decorrente do sofrimento, das provações e das dificuldades. Portanto, cremos que seremos reanimados pelo seu poder, que receberemos do Espírito de Deus uma nova “carga de energia”, para que as nossas “baterias”: fé, vida de oração, devoção, revestimento de poder, etc, sejam recarregadas. Precisamos trocar as nossas forças (na verdade, fraquezas), pela força de Deus (2 Co 12.9), pois Ele é como o sol que possui luz própria. Como o Senhor dos Exércitos, Ele deseja lutar por nós (Sl 37.5).
Na verdade, a igreja precisa ter suas forças renovadas pelo Senhor. Isto é avivamento, avivamento que produz no corpo de Cristo, um novo sentido de responsabilidade com a sua tarefa evangelizante. Sua prioridade principal volta a ser a pregação poderosa do evangelho com a operação de sinais e maravilhas. A expansão do Reino de Deus passa a ser meta principal. Com colírio recebido do céu (Ap 3.18), começamos a ver campos que já estão brancos para a ceifa, visão dos perdidos, das nações em decadência, famintos espirituais, órfãos por toda parte, dos soluços de toda raça. Esta é a renovação que precisamos urgente.
O cristão é uma pessoa destinada a vencer. Ele se transferiu da esfera da derrota, sob o jugo de Satanás, para o Reino de Deus que é basicamente, um reino de vitórias. Pela Palavra de Deus somos ensinados a crê que Deus nos torna mais que vencedores (Rm 8.37). Somos vitoriosos contra todas as forças do mal, contra todos os poderes de Satanás (Ap 12.10,11), contra todos os inimigos (Sl 44.5) e até sobre a morte (1Co 15.52,57). Só o Senhor nos proporciona renovação de forças, ânimo, disposição, esperança, alegria, etc. Busquemos do Senhor, renovação para este novo ano que se aproxima, pois só Ele “Dá vigor ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor” (Is 40.29).

Nonato Souza é pastor da Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Brasília em Brazlândia – DF, Coordenador do Setor VII, Graduado em Teologia, Email –pr.nonatosouza@gmail.com.br

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

ALEGRAI-VOS NA ESPERANÇA


“Alegrai-vos na esperança” (Rm 12.12a). Deus deve ser sempre honrado pela nossa viva esperança e confiança nele, especialmente quando nos alegramos nessa esperança. O homem sem esperança não pode ser uma pessoa feliz, é preciso que tenha uma esperança alegre. Na realidade convivemos com um mundo onde se abatem muitíssimas tragédias e crises de toda espécie, muitas famílias são enlutadas e isso entristece o coração das pessoas. O sistema atual em que vivemos reflete um estado interior de expectativa, pasmo e desencanto. Essa é a situação do mundo em que vivemos. Um mundo sem esperança. Mas há um povo que pode alegrar-se na esperança (espero que você esteja inserido neste grupo) mesmo em meio ao caos que vive este mundo, pode deleitar-se nas promessas de Cristo, certo de que não será deixado para trás, na orfandade, mas que sempre serão protegidos pelas Asas do Consolador. Como é bom quando o homem serve a um Deus que Ele próprio é o Deus da esperança. Você tem este Deus? Serve a este Deus? Renove a sua esperança, não seja como os que não têm esperança. Em meio a muitos que não tem esperança, nós podemos ter convicção de que a nossa esperança é consoladora. “Portanto, irmãos, consolai-vos uns aos outros com estas palavras” (1Ts 4.18).

Pr. Nonato Souza.

domingo, 8 de novembro de 2009

REDIRECIONANDO NOSSA VISÃO


“E o moço do homem de Deus se levantou mui cedo e saiu, e eis que um exército tinha cercado a cidade com cavalos e carros; então, o seu moço lhe disse: Ai! Meu senhor! Que faremos? Este disse não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. E orou Eliseu e disse: Senhor, peço-te que lhe abras os olhos, para que vejas. E o Senhor abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu” (2Rs 6.15-17).
Esses dois paises, Israel e Síria, sempre viveram em guerra, com exceção de pequenos períodos de uma frágil paz. Agora novamente o rei da Síria, que provavelmente era Ben-Hadade II, prepara emboscada para pegar o povo israelita de surpresa. Eliseu profeta do Senhor sempre sabia onde o acampamento dos sírios estava escondido e anunciava ao rei de Israel onde se daria tal e tal emboscada. Ben-Hadade II surpreso com tais acontecimentos conclui que havia algum espião no meio deles, alguém que era pelo rei de Israel. Um dos conselheiros do rei, conhecendo a verdade sobre o assunto e certamente conhecendo também a reputação de Eliseu supõe ser ele o culpado do que estava acontecendo, fazendo saber ao rei, quem está desvendando seus planos. Então o rei tendo conhecimento de tudo informa-se acerca do profeta, e onde se encontra. Obtendo, então, a informação de que o profeta se encontrava em Dotã, envia um pequeno exército equipado com cavalos e carros de combate para aquela cidade objetivando assim prender o profeta, não querendo o rei da Síria, permitir que o mesmo escapasse.
O moço do profeta, um de seus filhos espirituais, que certamente era um dos alunos das escolas de profetas, saindo bem cedo, pela manhã, surpreendeu-se quando viu o pequeno exército sírio escondido pronto para o ataque. Ao ver tal cena, certamente voltou correndo ao encontro do profeta para fazê-lo conhecido do problema e buscar uma solução para o mesmo. Ao chegar a Eliseu narra-lhe toda a situação, este o procura acalmar e lhe diz: “Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles” (2Rs 6.16). É bom, que observemos, que Eliseu estava dizendo existirem ali, hostes angelicais que eram vistas por ele, embora não fossem vista por seu moço. O que à primeira vista parecia uma coisa terrível e assustadora para o moço do profeta, certamente se tornaria um momento de vitória para o profeta.
Existe um mundo espiritual invisível à nossa volta (Hb 12.1,2). Às vezes a nossa visão espiritual está à semelhança do moço de Eliseu. Só vemos problemas e dificuldades, as piores possíveis, ao nosso redor. A nossa visão está direcionada para a esfera terrena, para derrotas, desesperos, fracassos, mortes, etc. Não conseguimos levantar o nosso olhar além dos exércitos do inimigo que está à nossa frente nos ameaçando. Esse tipo de visão espiritual tem levado muitas pessoas, e até famílias inteiras ao fracasso, à derrota plena. A palavra de Deus está repleta de exemplos de pessoas, que embora tendo passado por momentos cruciais na vida depositaram a sua confiança no Senhor e alcançaram vitórias. Às vezes a questão está em redirecionarmos a nossa visão e vermos que “mais são os que estão conosco do que os que estão com eles”. O moço do profeta veio ao seu encontro desesperado e dizendo-lhe: “Ai! Meu senhor! Que faremos?” A resposta do homem de Deus foi: “Não temas”. Ora, sabemos que temos em nosso favor a presença de Deus e hostes de anjos que estão ao nosso redor para nos livrar (Sl 34.7), O desespero do servo do profeta contrasta com a fé tranqüila do mesmo que simplesmente se pôs a dizer: “Não temas”.
O Novo Testamento narra história da cura de um homem que era cego. Esse milagre aconteceu em Betsaida. O texto narra que Jesus o tomou pela mão e o levou para fora da aldeia, quando ali chegou cuspiu-lhe nos olhos e impôs-lhe as mãos perguntando-lhe se via alguma coisa, ao que lhe respondeu dizendo: “Vejo os homens como árvores que andam” (Mc 8.22-26). Ora, essa, é uma visão totalmente distorcida, embaraçada, comprometida e sem nenhum nexo, pois alguém com uma visão normal, jamais veria uma pessoa parecida com árvores que andam; isso jamais aconteceria. Existem pessoas com uma visão do Reino de Deus exatamente assim. Não conseguem enxergar, ou melhor, ver as coisas boas do Reino. Não conseguem ver as promessas se cumprindo, bênçãos alcançadas e por alcançar, vitórias conquistadas e por conquistar, salvação dos pecadores, milagres, batismos no Espírito Santo, etc. Meu Deus, tanta coisa boa temos inserido no contexto do Reino de Deus; e muitos crentes só conseguem ter visões embaraçadas, quando não estão vendo inimigos, lutas, tribulações, problemas, etc! Ora, estas coisas, nós iremos passar enquanto estivermos neste mundo, porém a recomendação divina é olharmos para Jesus que é o “autor e consumador da fé” (Hb 12.1).
A mão de Deus não se encolheu! Ele continua agindo em nosso meio pronto a nos ajudar diante de quaisquer que sejam as adversidades. Para onde estamos direcionando a nossa visão? Ao profeta Eliseu coube a responsabilidade de orar por seu moço para que seus olhos fossem abertos, e ele pudesse também contemplar o socorro de Deus ali presente a cuidar do seu profeta. Jesus, também, não deixou o cego naquela situação, com uma visão distorcida, comprometida, embaraçada, mas “tornou a pôr-lhe as mãos nos olhos, e ele, olhando firmemente ficou restabelecido e já via ao longe e distintamente a todos” (Mc 8.25).
Devemos ter uma visão voltada para as grandezas do Reino de Deus. Estou convicto de que todos que crêem no Senhor Jesus como seu salvador, devem buscar a Deus para nunca serem acometidos de cegueira espiritual, e que os olhos do seu coração estejam sempre abertos para verem com clareza as realidades espirituais do Reino dos Céus. O moço do profeta viu apenas o exército inimigo que certamente, pensou ele, vinha para destruí-los. O experiente profeta viu diferente, viu o exército inimigo, mas viu mais acima, viu que muito mais eram os que estavam ali prontos para socorrê-los do que os que estavam com os inimigos.
Apostolo Paulo recomenda-nos acerca da direção que devemos dar à nossa visão espiritual em relação às coisas de Deus. Ele diz em sua carta aos crentes de Colossos: “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus” (Cl 3.1-3).
Concluímos enfatizando que, a nossa visão não deve está direcionada apenas para as coisas desta vida passageira, deste século presente, para os prazeres efêmeros deste mundo etc. Precisamos com o esforço necessário e oração, direcioná-la para cima, à semelhança de Eliseu, que viu não apenas a presença ameaçadora do exército inimigo, mas a presença de hostes celestiais a protegê-lo e se necessário a lutar a seu favor. Direcionemos a nossa visão para cima onde podemos contemplar àquele que “está assentado à direita de Deus o Pai”, sempre intercedendo por nós. Que o Senhor nos ajude!

Nonato Souza é pastor da Assembléia de Deus de Brasília em Brazlândia (DF), coordenador do setor VII, Graduado em Teologia, presidente do Conselho de Educação e Cultura da COMADEG, membro do Conselho de Capelania da CGADB.

PRÉ-CONGRESSO DA UCADEB ACONTECE DEBAIXO DE MUITA ALEGRIA E GRAÇA DE DEUS

Tia Nilda ministrando a Palavra no 1º dia do Pré-Congresso

Momento em que várias crianças entregaram suas vidas a Jesus.

Tio Itamar ministrando a Palavra de Deus às crianças.

Momento em que Tio Itamar juntamente com a igreja oraram pelas crianças.


Nos dias 6 e 7 de Novembro de 2009, no Templo sede da Assembléia de Deus do Setor VII, na Vila São José – Brazlândia, realizou-se o Pré-Congresso da UCADEB (União de Crianças da Assembléia de Deus de Brasília).
Sobre a coordenação da tia Lídia e sua equipe, as crianças e irmãos em geral, desfrutaram de dias abençoados, onde a mão de Deus esteve estendida para salvar curar e batizar no Espírito Santo.
Foram dias abençoados onde a presença de Deus se fez sentir de maneira poderosa. Ministrou a Palavra de Deus tia Nilda (Sobradinho – DF), e o tio Itamar (Ceilândia – DF), ambos discorreram sobre o tema: “Deus cuida de mim”, baseado em 1ª Pedro 5.7, enfatizando sobre o plano da salvação em Cristo Jesus e sobre o cuidado que Deus tem por cada um de nós, em especial as crianças.
Está de parabéns toda coordenação do Setor VII pela belíssima festa. A mão de Deus, certamente continuará estendida milagrosamente sobre nossa UCADEB trazendo sempre muita alegria e graça a todos que deste departamento fazer parte. Que o senhor os abençoe em nome de Jesus.
Pr. Nonato Souza

terça-feira, 27 de outubro de 2009

32ª AGO DA COMADEBG ACONTECE DEBAIXO DE MUITA GRAÇA E UNÇÃO DE DEUS


Nos dias 23,24,25 de outubro de 2009, obreiros da Convenção dos Ministros das Assembléias de Deus de Brasília e Goiás, reuniram-se no Templo sede da Igreja Assembleia de Deus de Brasília em Taguainga (DF), em Assembléia Ordinária sob a presidência do pastor Orcival Pereira Xavier, para tratar de assuntos relacionados ao reino de Deus.
O tema escolhido para o conclave foi: “O obreiro e a disciplina cristã. Que foi trabalhado objetivamente em todas as preleções. O evento teve início com abertura na sexta feira, e participação de obreiros da região do Distrito Federal, Goiás, Tocantins, Pará, Maranhão, Minas Gerais, São Paulo, etc. Foram dias abençoados e momentos inesquecíveis, onde a mão de Deus esteve estendida poderosamente sobre todos, nos três dias do referido evento.
Ministrou a Palavra de Deus, pastor Naum, presidente Assembléia de Deus em Araguaína (To) que falou no texto de Habacuque 3.2, enfatizando sobre a urgente necessidade de um poderoso avivamento, como arma para vencer todas as barreiras que se tem apresentado à frente da igreja. Pastor Nonato Souza, Assembléia de Deus de Brasília em Brazlândia (DF), enfatizou sobre o tema: “O obreiro e a disciplina cristã na liturgia do culto”, dando ênfase à necessidade que temos de oferecer ao nosso povo uma liturgia mais viva, onde as pessoas possam se envolver e ser envolvidas. Havendo, ainda, o cuidado com os exageros, extravagâncias e erros litúrgicos, sem, contudo, tirar a liberdade de ação do Espírito Santo, pois esta é a marca do movimento pentecostal. Pastor Tuguival, presidente Assembléia de Deus no Pará, abordou o tema: “O obreiro e a disciplina cristã do jejum”. Convocando a todos à prática do jejum e oração, como arma poderosa para vencer qualquer batalha. Disse “que muitos obreiros já abandonaram a prática do jejum espiritual a oração e leitura meditativa na Palavra de Deus, tendo uma vida de fraquezas e fracassos. Pastor José Antonio dos Santos, presidente Assembléia de Deus Maceió (AL), sobre: “O obreiro e a disciplina cristã da oração”. Dando exemplos de sua própria vida de oração, o pastor José Antonio (tratado carinhosamente como: pastor Neco), deu ênfase à necessidade que temos de orar em quaisquer que sejam as circunstâncias, pois Deus é poderoso para atender aos nossos clamores. Afirmou o abnegado pastor.
No sábado e domingo tivemos consagração de novos obreiros. O culto de encerramento foi cheio da presença gloriosa de Deus. Pastor José Antonio nos ministrou substanciosa mensagem, trazendo muita alegria e graça ao coração dos presentes. O evento teve ainda a participação de cantores e conjuntos locais e dos estados da nossa federação. Fomos edificados e vimos mais uma vez, à mão de Deus estendida sobre nós.
Pr. Nonato Souza.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

CULTO DEPARTAMENTO INFANTIL - VILA SÃO JOSÉ – SETOR VII


A UCADEB – União de Crianças das Assembléias de Deus de Brasília reuniu-se em culto de adoração e louvor a Deus no Templo sede da referida igreja, sob a coordenação da tia Elinete Portela e equipe. O culto transcorreu em ritmo de festa com a participação do pastor Edson de Souza e equipe que fizeram apresentações de fantoches e outros.
A UCADEB local realiza esse trabalho mensalmente, o tem trazido um grande crescimento ao departamento na igreja. Na realização do referido evento, vidas têm se convertido ao Senhor Jesus , trazendo despertamento à igreja local. Parabéns às nossas crianças e à liderança. Que a bênção de Deus esteja sobre vocês.

ANIVERSÁRIO ELINETE PORTELA DOS SANTOS


No dia 14 de outubro no Templo sede da Igreja Assembléia de Deus de Brasília em Brazlândia, a UFADEB (União Feminina das Assembléias de Deus de Brasilia), juntamente com a igreja, comemorou com muita alegria o aniversário da irmã Elinete Portela.
Na oportunidade também foi dado ênfase aos 25 anos de casados do pastor Nonato Souza e Elinete Portela dos Santos. O evento se realizou em clima festivo. O referido evento teve a participação da irmã Aparecida Farias (Coordenadora geral da UFADEB) pastores locais e membros. Na oportunidade, foi lembrado o exemplo de vida cristã que o casal tem deixado no seio comunidade, além do denodado trabalho prestado no Reino de Deus.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

ABORRECENDO O MAL E APEGANDO-SE AO BEM


O texto bíblico nos orienta: “Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem” (Rm 12.9). Não é o bastante que o homem ame a justiça é necessário também que aborreça o que é mal. O maior, exemplo, temos no Senhor Jesus. Ele não somente amou a justiça e aborreceu o que é mal, mas demonstrou ambos com igual intensidade. O amor que temos depositado em nosso coração levar-nos-á a repelir o que é mal e nos levará ao apego do bem. Quando o homem ama a Deus, não estará satisfeito apenas em agradá-lo fazendo o bem, mas terá dentro de si algo da atitude de Deus para com o mal, reconhecendo quão destruidora força é o mal, lutando sempre contra os interesses da alma. Quando amamos verdadeiramente nosso semelhante, não iremos fazer absolutamente nada que venha trazer prejuízo a este, tendo convicção do que está escrito: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”, e que este amor não pratica o mal contra o próximo. Deteste sempre o mal, tenha repulsa a todos os atos e ações que estejam relacionados com o mal, se assim fizermos com todas as nossas forças, só nos restará o caminho de fugir para o bem, apegando-nos ao mesmo. O amor verdadeiro se origina quando repelimos toda forma de mal e nos apegamos ao bem, sendo este bem praticado não por formas egoístas que é próprio do ser humano sem Deus. O amor é um bem inerente, e, por sua própria natureza, repele o mal. Quando amamos de verdade nos apegamos ao bem e fugimos para o bem. Sejamos pessoas apegadas ao bem e, detestemos o mal. Lembre-se: Nos evangelhos o amor é um princípio moral, e semelhante a Cristo, o qual é o único exemplo perfeito de amor e que nunca tolerou o mal.

Pr. Nonato Sousa.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

CREIA QUE DEUS EXISTE


“Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que é galardoador dos que o buscam” (Hb 11.6). A fé em Deus envolve acima de tudo a crença de que Ele é o “Rei dos séculos, imortal, invisível, o único Deus” (1Tm 1.17). Um Deus que cuida de nós. A fé envolve crer e confiar em Deus de acordo com a sua Palavra e promessas, resultando em uma confiança nas “coisas que se esperam” (Hb 11.1). Devemos crer que Deus existe e que pode nos galardoar quando, com sinceridade, o buscamos. Ele é capaz de nos alegrar, consolar e ajudar, em meio às turbulências da vida. Ele existe, e sabemos disso. Não estamos falando assim para tentar provar a existência de Deus, pois em nenhum momento a Bíblia se interessa em expor argumentos que objetivem provar a existência de Deus, antes, essa é sempre reputada como um fato auto-evidente e revelador, e não é este o propósito do texto acima. A fé em Deus nos habilita a confiar no seu caráter quando tivermos passando por circunstâncias adversas e severas. Quanto mais próximo estivermos de Deus, e mais íntimo for o nosso relacionamento com Ele, mais forte será a nossa fé quando as borrascas da vida se abaterem sobre nós. Busque a Deus com todas as tuas forças e diligência, desejando ansiosamente sua presença e graça, e Ele será contigo. “Irá a minha presença contigo para te fazer descansar” (Dt 34.14). Esta é a palavra do Senhor para nós.

Pr. Nonato Souza.

DEIXANDO DEUS CUIDAR DE NÓS


“Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1Pe 5.7). A ansiedade é um estado de vida que tem causado muitos prejuízos às pessoas. Debaixo do sofrimento, os homens têm uma tendência de limitar sua mente ao sofrimento deixando-se dominar pelo mistério da vida que não os levará a nada, a não ser à ansiedade e angústia. A solução para os problemas da ansiedade, que nada mais é que um estado emocional angustiante, é olharmos para Cristo que é capaz de cuidar de nós, e nos garantir a vitória final. Os sofrimentos, dores, preocupações do dia a dia, etc., não nos sufocarão, nem nos deixarão perplexos, quando os depositamos aos pés do Senhor Jesus. A orientação para vencermos este tipo de estado solícito vem do próprio Senhor: “Por isso vos digo: Não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu; não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros, e, contudo, o vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? Qual de vós poderá, com as suas preocupações, acrescentar uma única hora ao curso da sua vida? Quanto ao vestuário, porque andais ansiosos? Observai como crescem os lírios do campo. Eles: não trabalham nem fiam. E, porém, vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? Portanto, não andeis ansiosos, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Pois os gentios procuram todas essas coisas. De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas elas. Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não andeis ansiosos pelo dia de amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal” (Mt 6.25-34). Estas palavras são promessas a todos os servos de Deus neste tempo de grandes dificuldades, aflições e incertezas. Não devemos está preocupados, porque Deus tomará as providências para que tudo seja suprido no momento certo. Façamos a nossa parte neste mister e descansemos, o restante das coisas Ele assumirá o controle. Ao ler este devocional, confie no Senhor e entregue a Ele o seu caminho, e, saiba, Ele cuida de nós (1Pe 5.7).

Pr. Nonato Souza.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

UM RETORNO AOS PRINCÍPIOS, HORA DE REFLETIR


Reconheço que não sou nenhum espião que vive às espreitas observando tudo que acontece por ai, mas pelo que tenho visto no meio evangélico, estou um tanto perplexo com o que tem acontecido em nosso meio, isso porque apesar de não ser autoridade no assunto, tenho observado um total afastamento dos princípios bíblicos que sempre nortearam a Igreja desde o seu principio (At 2.42). Parece está ficando cada vez mais difícil de crer, acatar, obedecer sem questionar ou vilipendiar esses conceitos que foram tão fortes no coração do povo de Deus no principio da igreja.
Estamos nos afastando dos princípios bíblicos, doutrinas fundamentais da fé cristã essencialmente necessária à salvação. Tenho ficado abismado com o comportamento daqueles que se utilizam dos púlpitos de nossas igrejas e tratam o povo de Deus, como se nunca tivessem de prestar contas dos seus feitos ao dono da obra. Me, deixa pasmo, a maneira como os tais se colocam diante do rebanho, totalmente desprovidos de humildade, e vida com Deus E porque não dizer, de Bíblia. Prepotência, arrogância e falta de bom senso é o que permeia a vida dos tais. O pior, é que esse tipo de mau exemplo se espalha por onde passam, deixando um rastro de prejuízo e destruição ao rebanho que ali permanece. Esses aproveitadores, que sempre existiram e existirão, não têm nenhum interesse com o bem espiritual de ninguém muito menos com a Palavra de Deus. Na verdade os tais estão interessados apenas em bens materiais e prazeres, estando sempre em busca da satisfação dos seus desejos egoístas (Fp 3.19). Os tais, na verdade, embora tenham aparência de piedade, negam-lhe, porém a eficácia (2Tm 3.5).
Vivemos tempos difíceis, não tenho dúvida disso. A igreja vive um momento de adulteração das características originais de sua doutrina. Modismos os mais diversos e absurdos aportaram no arraial dos santos. As doutrinas básicas do Cristianismo têm sido jogadas por terra por pregadores descompromissados com a verdade de Deus, e por cada movimento que surge; na sua maioria com doutrinas espúrias, delas, falsa mesmo. Que Deus tenha misericórdia de nós e nós da igreja, pois como ministros, do evangelho de Cristo, e conhecedores da verdade, precisamos lutar contra esses falsos mestres, além do que, é nossa obrigação guardar pelo ensino verdadeiramente bíblico, o rebanho do Senhor.
Por tudo que vejo está acontecer no meio evangélico, estou enfatizando fortemente que precisamos de um avivamento verdadeiramente bíblico. Existe um clamor por todos os lados para um retorno aos padrões doutrinários que infelizmente estão sendo abandonados. Estamos vendo com tristeza em nossos corações o afastamento de muitos e o prejuízo que este afastamento tem causado. Há um abatimento espiritual por toda parte. Um tipo de evangelho antropocêntrico, onde o homem é cultuado e não Deus. Este antropocentrismo tem alcançado muitas igrejas. Cristo já não é mais o centro dos nossos cultos, das nossas reuniões. Como dizia Emílio Conde, somos “uma igreja sem brilho”, sem o brilho da oração, pois os nossos cultos de oração se evaporaram, com raras exceções. Sem o brilho dos batismos no Espírito Santo com a evidência inicial de falar em línguas estranhas, que acontecia normalmente nas nossas reuniões diárias, e que hoje é uma raridade. Sem o brilho da manifestação dos dons espirituais, que em nossos cultos era algo normal, e agora, ficamos assustados ao ouvir Deus falar em nosso meio. Tínhamos línguas, salmos, cânticos espirituais, tudo para a edificação da igreja. Sem o brilho da salvação dos pecadores que era algo constante quando o povo de Deus se reunia. Sem o brilho da exposição sistemática da Palavra de Deus, que já não tem lugar primordial em muitos lugares e igrejas por ai.
Queremos um retorno aos postulados bíblicos. Estou lamentando, e clamando ao Senhor, tal qual Jeremias diante do caos que acometeu Jerusalém: “Lembra-te, Senhor, do que nos tem sucedido; considera e olha para o nosso opróbrio. A nossa herdade passou a estranhos, e a nossa casa, a forasteiros” (Lm 5.1,2). Voltar aos princípios que nortearam nossa igreja nesses quase cem anos de história, é uma questão de honra e precisa pressa. As nossas forças estão se esvaindo por causa das nossas vaidades e comportamentos anticristãos, aceitamos o pecado como algo normal em nosso meio, e somos incapazes de nos arrependermos prostrados aos pés do Senhor. Falta arrependimento; aliás, esse é um tema que embora bíblico, encontra-se ausente de muitos púlpitos hoje, pois para muitos, é já ultrapassado, e que os adeptos da teologia da prosperidade não conhecem, e se conhecem não falam sobre o assunto, pois nenhum compromisso tem com a Palavra da verdade, nem precisam do mesmo para sua vida espiritual.
Temos vivido como cristãos descompromissados com a Palavra e não queremos retornar à posição verdadeiramente bíblica por causa das nossas funções, posições, status. Crescemos muito, só que se trata de um crescimento anormal, agora fica feio retornar à posição que nos quer o Senhor, nos humilharmos; aliás, nem sei se sabemos mais o que é humildade. É bom, que nos lembremos que Jesus virá buscar um povo seu, zeloso, e de boas obras (Tt 2.14), se é que ainda somos capazes de nos lembrar que ele vai voltar outra vez para buscar sua noiva, eleita e preciosa (Ef 5.27.
Precisamos voltar ao princípio da oração, obediência, evangelização, trabalho cristão, fidelidade, integridade, ao princípio da Palavra, etc. Penso que a estrutura espiritual de um crente é conhecida por sua vida de oração, comunhão com Deus e leitura meditativa da Palavra de Deus. Muitos se esquecem desses requisitos importantes e acham que serão reconhecidos no céu por seu grau de conhecimento secular, posição social, status, recursos que possuem e outros efêmeros prazeres. Na verdade, e como eu gostaria que nos lembrássemos disso, seremos conhecidos como servos, e servos fiéis, que se colocaram em posição de fidelidade ao seu Senhor, em obediência à sua Palavra (Mt 25.21). Falando em obediência, sabemos que este é um sentimento necessário ao cristão. Paulo cita sobre Jesus como Filho obediente: “... e achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte e morte de cruz”. (Fp 2.5-8). Ora, nós, os cristãos, temos Jesus como nosso maior exemplo nesse mister, sendo assim, há fortes motivos para sermos obedientes à vontade de Deus. Aliás, não é de hoje que o povo de Deus é instado a uma vida de obediência. Desde tempos idos, através dos seus profetas, Deus já instava seu povo a um retorno à prática da obediência, pois a contumácia e ou dureza de coração, se tornara algo constante na vida do povo de Deus, fazendo-se necessária, às vezes, a aplicação de duras medidas disciplinares, objetivando o retorno e correção dos mesmos.
Sobre o assunto da obediência, a Palavra de Deus nos mostra a atitude infeliz de Saul que o levou a ser rejeitado pelo Senhor. Deus lhe deu ordens através do profeta Samuel para que ferisse Amaleque e destruísse completamente tudo o que tivesse (1Sm 15.3), numa atitude de total desobediência, Saul tentou mudar as ordens do Senhor, não só tomando do despojo como também resolveu poupar a vida de Agague, rei amalequita (15.9), o resultado trágico de Saul foi sua total rejeição pelo Senhor (1Sm 15.23). O exemplo de Saul nos mostra com clareza que Deus não tem prazer com aqueles que abandonam o caminho da obediência para viver ao seu bel prazer. Certamente não é o bastante adorar, louvar, prestar serviço ao Senhor e viver de forma desobediente. “O culto, a oração, o louvor, os dons espirituais e o serviço a Deus não têm valor aos seus olhos, se não forem acompanhados pela obediência explícita a Ele e aos seus padrões de retidão (cf. Is 58.2; 59.2; 1Co 13; Bíblia de Estudo Pentecostal, pg. 454).
Digo, é hora de refletir, e refletindo, lutarmos por um retorno aos princípios. Diante do quadro que estamos vivendo, só nos resta olharmos para Jesus; Autor e Consumador de nossa fé. Lutarmos fervorosamente contra as investidas do inimigo de nossas almas e da Igreja de Jesus, para que nossa herança não seja entregue a estrangeiros, e venham eles comer a nossa força (Os 7.9). É hora de lutar, jamais recuar. Deus conta conosco neste momento histórico. Avancemos, o nosso alvo é o Céu, o Senhor nos espera, não deixemos que nada, absolutamente nada ofusque a nossa visão (Mc 8.24). É hora de refletir. Que o Senhor nos ajude!
Pr. Nonato Souza.

sábado, 11 de julho de 2009

FALEMOS A VERDADE


O texto de efésios 6.14, enfatiza que o crente deve está envolvido com a verdade. “Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade” (Ef 6.14).
Um guerreiro dos tempos antigos era cingido com uma cinta de couro, que tinha a finalidade de segurar a túnica do soldado para que esta permanecesse presa durante a luta, ajudando também a proteger o corpo e mantendo a espada em seu lugar. Na luta espiritual a verdade também compõe com extraordinária precisão a armadura de Deus. Na guerra espiritual devemos está cingidos pela verdade no falar e no comportamento. A falsidade ou a falta de integridade expõe o crente diretamente ao inimigo. “Quando o soldado cristão se cinge com a verdade, no sentido paulino, ele se apropria da Palavra pela fé. Isto dá segurança, estabilidade e determinação a sua vida e ações. Assim, ele não só tem sabedoria e entendimento, mas também vive em verdade” (Beacon). O crente, pertence à verdade. Nós somos povo da verdade (Ex 18.21); somos salvos pela verdade (Jo 14.6), e gerados pela palavra da verdade (Tg 1.18). Todo cristão compromissado com a Palavra de Deus tem sua vida dominada pela verdade, anda na verdade e fala a verdade (3Jo v.4; Ef 4.25). Em contraste com a verdade está a mentira, acerca da qual a Bíblia diz que: a) é proibida (Lv 19.11; Cl 3.9); b) é odiada por Deus (Pv 6.16-19); c) é abominável para Deus (Pv 12.22); d) é um obstáculo à oração (Is 59.2,3); e) o diabo é seu pai (Jo 8.54); f) o diabo é excitador da mesma (1Rs 22.22); g) os santos a odeiam (Sl 119.163; Pv 13.5). Como tem sido difícil para os cristãos sinceros nestes últimos dias! Uma verdadeira guerra pela verdade tem sido desencadeada dentro das igrejas por aqueles que prezam pela verdadeira doutrina e ensinamentos cristãos. Alguns aventureiros têm surgido por ai pregando heresias de perdição, contaminando às nossas igrejas, e o que me trás admiração é que, são recebidos em nossos púlpitos como verdadeiros heróis, enquanto solapam a fé dos santos. A mentira está em voga em nossos dias, crentes em geral, pregadores e cantores que deveriam falar cantar as verdades de Deus, falam testemunhos mentirosos, pensando estarem com isso, galgando algo de bem para suas vidas. É bom que esses tais saibam, que o Senhor da Igreja um dia os chamará a prestar contas de todas as suas ações (Jr 17.10; 32.19). Viver, andar e falar a verdade deve ser o lema de todo aquele que almeja chegar ao céu. Leia e medite no Salmo 15,1-5. Que o Senhor no ajude.
Pr. Nonato Souza.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

FORTALECE-TE NO SENHOR


“No demais irmãos meu, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder”. Fortalecer-se, tornar-se forte. Não se trata simplesmente de fortalecimento físico ou fortalecimento intelectual, mas fortalecimento na força do poder de Deus (Ef 6.10). A nossa vida está repleta de grandes batalhas, e porque não dizer fraquezas, batalha esta, que na se deve lutar com armas materiais, físicas ou carnais, mas sim espirituais, é preciso está cheio do poder de Deus. O que na verdade precisamos não é da aquisição de novas forças, mas do usufruto da força que já possuímos em Cristo Jesus, sim isto mesmo, usarmos a força que já possuímos em Cristo Jesus. Ser forte “no Senhor” indica que a fonte da nossa força está em nosso relacionamento com Cristo. A força é dele, e torna-se a nossa força pela fé. Cristo é a fortaleza do seu povo. Ser forte é um dever do povo de Deus. Podemos ter uma confiança forte, esperança forte, perseverança forte, amor forte, isto se estivermos firmados nele. Quando Paulo, o apóstolo clamou a Deus sobre um “espinho” (entende-se um problema que enfrentava) que lhe atormentava, a resposta de Deus foi: “a minha graça te basta”. A graça de Deus é na verdade o amor de Deus em ação é o dom do fortalecimento de Deus para o crente, além de ser a força de Deus dada ao homem para socorro em tempo presente. Queridos, quando vermos as nossas forças se esvaindo, quando não suportamos mais os problemas, lutas, fraquezas, etc, vamos sempre ouvir a voz de Deus dizendo: “a minha graça te basta”. O poder de Deus sempre se aperfeiçoa na fraqueza. Alguém já disse que “é na forja da fraqueza que a força é trabalhada até ficar perfeita”. Somos dependentes da força de Deus para vencermos, pois a sua força é aperfeiçoada na nossa incapacidade humana. É bom que fiquemos com a recomendação divina que diz: “Fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder". Pr. Nonato Souza.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

SUPORTANDO OS MOMENTOS DIFÍCEIS


“Não estranheis a ardente prova que vem sobre vos, para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse”. Toda a Escritura, e com exclusividade o N.T. é enfática em mostrar-nos que o crente fiel passa por tribulações e aflições neste mundo, embora existam os que issistem em afirmar, mesmo contrariando os ensinos da preciosa Palavra de Deus, que o crente fiel não pode sofrer. Ficamos às vezes perplexos e surpreso ao sermos surpreendidos por momentos conturbados e difíceis em nossa vida ou em nosso cotidiano. No entanto, a Palavra de Deus nos revela que os crentes passariam por sofrimentos dolorosos, destruidores e até violentos. O fogo da prova é testador, provador e purificador. Assim como o ouro mais apurado passa por altas temperaturas, o crente também, com a finalidade de ser beneficiado na formação do seu caráter excelente. A Bíblia diz: “Como o crisol prova a prata, e o forno o ouro, assim o homem é provado...” (Pv 27.21). Quando pelo nome de Cristo sofremos perseguições, somos stribulados, passamos por adversidades, e mesmo em meio ao sofrimento permanecemos fiéis ao Senhor, suportando as lutas e momentos difíceis, somos reputados por bem-aventurado, pois sobre nós “repousa o Espírito da glória de Deus” (1Pe 4.13). De sorte que, se você está neste momento passando provações lutas e momentos de adversidades, suporte, seja paciente. Deus está no controle de tudo. Confie no Senhor. Pr. Nonato Souza.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

SAUDAÇÃO INICIAL

Caros companheiros e irmãos em Cristo, este é o blog do pastor Nonato Souza. A partir de hoje estaremos postando assuntos de interesse do Reino e edificação do povo de Deus. Espero que a cada assunto postado tenhamos muitos comentários. Aproveito para saudar a todos com a paz do Senhor Jesus. Um abraço a todos que de alguma maneira se esforçam para continuar semeando a semente. Pr. Nonato Souza.