quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O líder de mocidade e o seu papel na Igreja hoje

Por Pr. Nonato Souza
Quando pensava sobre a importância do trabalho que os jovens podem desempenhar na igreja hodierna, me veio à mente, a seguinte indagação: que papel poderá desempenhar o líder de mocidade na igreja hoje?

Fui líder de mocidade durante determinado período na igreja onde servi o Senhor na cidade de Codó – MA. Quando fui chamado pelo pastor da igreja para exercer esta função no corpo de Cristo, tive grande dificuldade, exatamente, porque não sabia qual o meu papel frente esse importante trabalho. Aos poucos fui sendo orientado por meu pastor local, bem como li títulos sobre o tema, além de participar de vários seminários na área de liderança jovem promovido pela Assembleia de Deus em São Luis - MA, através de sua liderança jovem. Todo ano a UNILIDER (União de Líderes) realizava o ELMAD (Encontro de Líderes de Mocidade da Assembleia de Deus), onde eram ministrados seminários objetivando dar formação e preparação a líderes de jovens. Esses seminários foram uma verdadeira força e entusiasmo para minha formação e maturidade, além, de ajudar-me a perseverar em minha caminhada cristã.

Preocupa-me a situação dessa classe de líderes que trabalham com jovens na igreja atual. Observa-se, haver, quase que um descaso com esse importante grupo de líderes que atuam em nossos arraiais. Não há praticamente, investimento nenhum nessa área. Faltam seminários, cursos e palestras que alcance, instrua e forme esses líderes carentes de orientação que os leve ao crescimento.

Sei existir grande dificuldade em todas as áreas de atuação desse grupo de trabalhadores. Ora, sabe-se que o líder de mocidade representa hoje uma alternativa enorme na obra de Deus. Já tivemos uma época em que o movimento jovem representou um avanço muito grande no evangelismo nacional, sabemos disso. Os frutos dessa semeadura são colhidos hoje. Grandes pregadores e mestres da atualidade são frutos dessa semeadura dos anos 60/70/80, que podemos dizer foram tempos áureos dos grandes avivamentos jovens.

Há algum tempo atrás começamos a ver o arrefecimento deste mover de Deus entre os jovens líderes. Parece faltar empenho, dedicação, coragem, amor, propósito, fé, modelo. Quando se trata de liderança jovem, vivemos um momento angustiante e de profundos gemidos. Sinto como que certo distanciamento dos jovens que deveriam colocar-se à disposição de Deus para por Ele ser usado e desempenhar tão importante papel.
Continuo dando ênfase a esta necessidade na Igreja. Deus e a Igreja precisam de jovens que sejam capazes e tenham coragem de resgatar a imagem quase desvanecida de pregadores da atualidade, na sua maioria fracassados ministerialmente devido os sucessivos escândalos e comportamentos que denigrem a mensagem pura e santa do Evangelho de Cristo, trazendo prejuízos irreparáveis ao Reino de Deus.

Temos muitos líderes à frente de grupos jovens, alguns poucos, preparados, outros em sua grande maioria, totalmente despreparados, sem nenhuma qualidade para o exercício da liderança, faltam-lhe quase tudo. Imaturos em suas ações, comportamentos e decisões, o líder de jovens precisa superar sua própria imaturidade. Alguns, o grau de imaturidade é tanto que até se atrevem a tomar decisões contrárias; trabalham na contra mão da liderança maior da igreja; fazem eventos sem a cobertura do seu pastor; não informam, ou prestam relatórios acerca do andamento do departamento; têm dificuldades em concordar com as determinações do seu pastor, e não se portam como exemplo dos fiéis. Além destas coisas, ainda acham que sabem tudo, por isso, tomam decisões ao seu bel prazer, sem orar, consultar seus liderados e seu líder maior, gerando conflitos, devido uma posição soberba e de insubmissão.

O líder de jovens precisa entender que o seu comportamento para com o seu pastor é de um aluno para com o seu mestre, de um filho para com o seu pai, e se completam com a estima, a simpatia e com o estímulo do pastor para com os jovens que se destacam pela dedicação e capacidade de ajudar outros jovens. Outro ponto que há necessidade do líder de mocidade entender, que não há dependência do pastor para com o líder de mocidade, e sim, deste para com o seu pastor.

Têm líderes pensando e achando (esse que vos escreve já viu alguns desses por ai) que para o pastor realizar algum programa com toda a igreja precisa consultar sua liderança. Ora, se isso existe, sabe-se ser puro abuso da parte do líder de jovens. Na verdade, o pastor não precisa consultar o líder de mocidade para elaborar o seu cronograma de trabalho. O líder de mocidade, sim, é que precisa concordar com o seu pastor a respeito de trabalhos que envolvam a igreja, da qual a mocidade é parte integrante. Um exemplo clássico que já vi acontecer foi o seguinte aviso: “O líder da mocidade convoca a igreja para tal trabalho, tal dia”. Ora, se isto não é exceder-se, é o que?.

Um líder de jovens que programa trabalhos que colidem com a liderança do seu pastor, privando-se da palavra do pastor e do contato com a igreja, está simplesmente causando sérias dificuldades.

Finalmente, quero informar ao líder de jovens, que se deseja ter êxito em sua liderança, não deve abrir mão de manter estreita aproximação do seu pastor. O líder de mocidade falhará terrivelmente em sua liderança, se não se considerar dependente do seu pastor.
O líder de mocidade precisa ser um instrumento nas mãos de Deus, para que isto aconteça há necessidade de tempo. Tempo para ser formado, para adquirir maturidade, tempo para entender que o verdadeiro líder espiritual é alguém que está infinitamente mais interessado no serviço que ele pode prestar para Deus e seus semelhantes, do que, nos benefícios e prazeres que ele mesmo poderá extrair da vida para si mesmo.

Um líder de jovens precisa aprender que o exercício da liderança nunca foi fácil. Se não aprender a viver à luz da fé, nunca será um líder bem sucedido. Entendendo este ponto o líder jovem será sempre um eterno aprendiz, dependente de Deus, submisso à sua orientação e cuidado. Foi Jesus que disse acerca desse assunto: “[...] porque sem mim nada podereis fazer” (Jo 15.5). Se há no coração do líder jovem o sentimento de tornar-se eficaz em seu trabalho, deve, então, buscar essa eficiência em Deus, através da oração constante, leitura da Palavra, vida de humildade, estando consciente de sua condição de líder, do significado da liderança e dos princípios que a regem. Tendo tudo isso, não se esqueça de que o líder cristão exerce um papel importantíssimo no contexto do Reino e, portanto, depende de Deus.

Sabe-se que a verdadeira liderança, ainda que exercida por uma pessoa amadurecida, emocionalmente estável, sempre cobra o seu preço. Temos muitos líderes que querem apenas deter o status, não querendo, porém, o ônus de liderar. A excelência na liderança não acontece por acaso, ela vem pela aplicabilidade, esforço e dedicação permanente. Jesus parece que tinha isso em mente quando disse: “Porque qualquer que quiser salvar a sua vida perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida a salvará” (Lc 9.24). Jovem, isto lhe diz alguma coisa? Pois é, se queres exercer liderança, saiba que precisa dedicação.
A escassez de liderança comprometida com os negócios do Reino é grande. O texto sagrado mostra que houve momentos em que Deus encontrou Davi, homem segundo o coração de Deus, pronto a cumprir a vontade divina. Observe o que diz o texto: “Achei a Davi, filho de Jessé, varão conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade” (At 13.22). Houve, porém, tempo na história de Israel em que Deus procurou entre os profetas, sacerdotes e príncipes do povo, homens que se supunha está à disposição de Deus, um homem com qualidades específicas, para um momento específico, mas não encontrou. Observe, é o próprio Deus que diz: “E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei” (Ez 22.30). Assim como no passado, ainda hoje Deus está à procura de homens que estejam prontos a se lançar aos seus cuidados e que por Ele queiram ser usados na expansão do Seu Reino na terra. Jovem, líder, Deus pode contar com você?

Sendo esta uma necessidade urgente da igreja, é preciso haver investimento nos jovens que já estão envolvidos com liderança e outros que demonstram plena aptidão para tal. Não dar prá continuar com líderes despreparados, desanimados, desprovido de sentimento de compaixão pelos que estão sob os seus cuidados. É preciso investir na formação destes, aproveitando o desejo ardente que há nos seus corações para o exercício da liderança cristã. Observe que Jesus, líder por excelência, fez altíssimo investimento, treinando seus doze discípulos para uma grande obra. Líderes deve concentrar sua atenção em aspirantes à liderança que estão sob sua responsabilidade e cuidado. Na igreja tem sempre alguém com aspiração para liderança que deve ser estimulado ao crescimento.

O líder de jovens para os dias atuais precisa ter algumas características que lhe são importantes. Um líder precisa ser culto, instruído, pacificador, submisso a Deus e está comprometido com a obra de Deus. Poderia acrescentar ainda a fé, coragem, amor, determinação, humildade (tão esquecida por muitos), paciência, entusiasmo, benignidade, competência, confiança, disciplina, integridade, espírito de servo e capacidade administrativa, persistência, objetividade, treinamento, persuasão e lealdade.
Para encerrar esse texto e não torná-lo prolixo trarei algumas recomendações aos líderes de jovens. Certamente num próximo texto, teremos mais informações sobre este riquíssimo assunto.

O líder de jovens deve está atento em desenvolver o máximo o dom que Deus lhe deu. Observe o que diz apóstolo Paulo acerca do assunto: “Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério”. Noutra parte: “Por este motivo, te lembro que despertes o dom de Deus , que existe em ti pela imposição das minhas mãos” (1Tm 4.14; 2Tm 1.6).

O líder de jovens deve ocupar-se com boa leitura e meditação. Paulo recomenda: “Persiste em lê, exortar e ensinar, até que eu vá. Medita estas coisas, ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos” (1Tm 4.13,15).

O líder de jovens deve ser exemplo de boas obras. Paulo ao escrever a Tito diz: “Em tudo, te dá por exemplo de boas obras [...]” (Tt 2.7; veja também Tt 3.8).

O líder de jovens deve aprender a se relacionar com todas as faixas etárias. Observe as recomendações de Paulo ao jovem pastor Timóteo e também a Tito (1Tm 5.1-12; Tt 2.1-10).

O líder de jovens deve exercer, pessoalmente, a piedade. Paulo recomenda a Timóteo o cuidado permanente com a vida espiritual. “[...] e exercita-te a ti mesmo em piedade” (1Tm 4.7).

O líder de jovens deve cuidar em conservar-se puro. Paulo, não aceita que o líder venha transigir com o pecado. “A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro” (1Tm 5.22). Alguém, algures disse: “Quem sacrifica a integridade, perde o seu mandato”.

O líder de jovens deve evitar falatórios inúteis e profanos. Essa é uma recomendação para se evitar conversações vazias, sem nenhum nexo, mundanas. O jovem líder não deve concordar com o erro, os falsos ensinos. “Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade” (2Tm 2.16).

O líder de jovens deve preservar as coisas básicas do ministério: um coração puro, uma boa consciência, e uma fé não fingida. “Ora, o fim do mandamento é a caridade de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida” (1Tm 1.5).

Por fim, o líder de jovens deve cumprir o seu ministério. “Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério” (2Tm 4.5).
Quero encerrar falando ao líder de jovem que se esforce em prol do Reino de Deus, leve a mocidade de sua igreja a cumprir fielmente o seu papel de agente de crescimento do Reino. Seja um líder preocupado com os negócios do Pai e empenhe-se em fazer o melhor objetivando alcançar, junto ao seu grupo, a maior quantidade possível de salvos. Ande ao lado do seu pastor, seja amigo, companheiro e submisso às suas diretrizes, determinações e orientações. Não falhe neste quesito. Uma mocidade cristã bem liderada tornar-se-á forte em prol da igreja local e do Reino de Deus, além, de ter uma nova disposição e visão para buscar a Deus. Enquanto, que se for mal orientada, ensinada, tornar-se-á um grande empecilho, desviando-se dos seus propósitos, compactuando com o mundo, e se entregando à imoralidade e depravação moral. Aqui, tem o líder grande responsabilidade com o que foi entregue em suas mãos. Que o Senhor tenha misericórdia dos líderes de mocidade.





4 comentários:

  1. Para isto existe o curso HABITUDES, da Universidade da Família. Excelente curso para formação de líderes de jovens.

    ResponderExcluir
  2. Que o Senhor tenha mesmo misericórdia de nós, líderes de jovens, pois a nossa missão é nada menos, do que a de guiar pelo caminho certo o futuro da Igreja do Senhor. Que Ele nos dê sabedoria e todas as demais virtudes expostas neste artigo. Ajude-me Senhor e faça em mim a tua vontade!!!

    ResponderExcluir
  3. A Paz gosteei do estudo muito bom, mesmo, somos pela Infinita Misericordia Do SENHOR lider e regente, pela GRAÇA De DEUS, e gostei, vou sempre esta procurando maaiiis, Cooom DEUS, DEUS os abeeemçoe irmaos, OREM POR NOS!

    ResponderExcluir