sábado, 28 de maio de 2011

REVESTI-VOS DE TODA A ARMADURA DE DEUS (03)

Vestida a Couraça da Justiça, “... e vestida a couraça da justiça,...” (Ef 6.14).
A couraça ou peitoral era uma proteção para todo o tronco e órgãos vitais, vinha desde o pescoço até a parte superior das coxas. Era uma proteção extremamente importante para o soldado.
Ela consistia de duas partes, com uma se cobria a frente e com outra as costas, sendo as duas partes ligadas entre si por tiras de couro ou tiras de metal, por cima dos ombros, amarradas na parte da frente, havendo também articulações nos lados. Esta couraça era geralmente fabricada de couro, bronze, ferro ou ainda, outros metais.
No campo espiritual, a couraça representa para o salvo uma vida devotada a Deus, santa e de retidão moral (Rm 6.13; 14.17). Através de uma vida de retidão, pureza, bondade, etc., resistiremos toda e qualquer investida de Satanás à direita e à esquerda, com as armas da nossa justiça (2Co 6.7).
Esta proteção na armadura serve como símbolo da proteção que a justiça de Cristo dar ao crente. Somos instados pelo apóstolo Paulo a uma vida digna da vocação a que fomos chamados (Ef 4.1). Fora dessa proteção que o Senhor Jesus oferece ao cristão, estamos totalmente desprotegidos contra as acusações de Satanás.
Apelando para a justiça de Cristo, que é imputada a todo aquele que crê, o crente se torna sempre vencedor. Cada vez que o inimigo vem contra nós objetivando trazer-nos acusações sobre nossas fraquezas e fracassos, podemos dizer a ele que Cristo, nossa justiça triunfou por nós, vencendo-o na cruz.
Quando formos por Satanás acusado de sermos ainda pecadores, apesar de aspirarmos uma vida de santidade, podemos lhe responder com convicção: “O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1Jo 1.7). Sim, sobre toda e qualquer acusação, somos vencedores pelo sangue de Jesus Cristo (Ap 12.10,11). É, porém, necessário haver vigilância a cada momento, pois, “nossa justiça posicional em Cristo, sem uma justiça prática na vida diária, apenas dá a Satanás oportunidade para nos atacar” (Hernandes Dias).
Não se trata, portanto, de nossa própria justiça e retidão, mas, “é a própria retidão de Deus que está aqui em foco; porque ninguém pode chegar à sua presença se não possuir exatamente essa modalidade de retidão” (Champlin).
As boas obras é fruto dos salvos, e não meios para levar homens à salvação (Ef 2.10). A vida do crente é dominada pela justiça de Cristo “pois, a perfeição da natureza moral de Deus é o próprio alvo da vida cristã (Mt 5.48), e o processo que nos faz avançar nessa direção é o da santificação, que nos serve de proteção contra todos os males que fazem guerra contra nossa alma” (Champlin).
Vivendo assim o crente agrada a Deus, pois, os que andam em justiça temem ao Senhor (Pv 14.2) e amam a Cristo acima de tudo (Ct 1.4).
Que o Senhor, nossa justiça, tenha misericórdia de nós.


Pr. Nonato Souza.

Um comentário:

  1. A paz do Senhor pr. Nonato.
    Estas Mensagens sobre a armadura espiritual são uma benção. Não há como enfrentar uma luta sem as devidas proteções, na vida espiritual como Paulo especificou, não é diferente.
    Pastor, que toda sorte de bênçãos sejam derramadas sobre sua vida, família, ministério, etc.
    Abraços do irmão Demétrius.
    http://ciencia-religiao.blogspot.com/

    ResponderExcluir