quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Estamos de fato vivendo um verdadeiro avivamento?


Nonato Souza

"Oro para que, juntamente com suas gloriosas riquezas, Ele vos fortaleça no âmago do vosso ser, com todo o poder, por meio do Espírito Santo. E que Cristo habite por meio da fé em vosso coração, a fim de que arraigados e fundamentados em amor, vos seja possível, em união com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade dessa fraternidade, e, assim, entender o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que sejais preenchidos de toda a plenitude de Deus" (Ef 3.16-19).

O que dizem e pensam alguns sobre avivamento destoa e muito do que ensina a Palavra de Deus sobre este assunto. Primeiro porque avivamento não está nem um pouco relacionado com o que vemos em muitas reuniões elaboradas, criadas com único objetivo de enaltecer o ego de alguns. Avivamento não é fruto de palavras de ordem ou programa bem elaborado. Avivamento é fruto de arrependimento e confissão de pecados. Vem quando nos voltamos para Deus, quando nos dispomos a uma mudança radical em nosso estilo de vida, igreja e ministério.

Quem de fato se encontra com Deus e sofre uma profunda experiência de avivamento, não se esquece disto, três dias depois que encerra o evento, o congresso, a festa, voltando a fazer tudo o que dantes fazia à velha vidinha medíocre de sempre. Avivamento gera em nós mudança plena, completa e duradoura. Avivamento gera vida com Deus.

Alguns homens nos permite seguir os seus passos nesta experiência de avivamento. Quer avivamento? Siga os passos de David Brainerd, ao pregar entre os índios no interior dos Estados Unidos, doente, fervoroso e confessando seus pecados. Siga as pegadas de George Whitefield, que pregava com lágrimas até perder as forças, sendo até ridicularizado nas peças teatrais, e foi excluído da igreja do estado por não se assemelhar a eles. Veja Jonathan Edwards, expulso da igreja por se negar a servir a Ceia a membros não convertidos. Aprenda com Spurgeon e ouça o que disse Leonardo Revenhill sobre avivamento: “o avivamento tarda porque os pregadores e evangelistas de hoje em dia estão mais preocupados com dinheiro, fama e aceitação pessoal do que em levar os perdidos ao arrependimento”.

O evangelho pregado em alguns lugares é um verdadeiro fiasco. Estão deixando de lado a exposição das verdades do Evangelho, para contar uma porção de historietas regadas com boa dose de mentiras mirabolantes, muito emocionalismo com objetivo de levar o povo ao delírio. Isto para alguns é o bastante. Que triste!

Porque não pregamos o Evangelho puro e simples, sem rodeios, falando a verdade, sem medo do que nos possa fazer o homem? Pregar o Evangelho é um prestimoso serviço que prestamos ao Reino de Deus, não podemos reduzi-lo meramente ao entretenimento do povo. Igrejas estão morrendo por falta de alimento espiritual sadio. Estamos trocando o maior de todos os tesouros, a pérola preciosa, por alguns momentos de satisfação carnal, terrena e muito entretenimento.

Oro por um avivamento que comece na minha vida, sim, na minha vida, alcance minha família e a Igreja do Senhor. Oro por um avivamento que me leve servir a Deus sobre todas as coisas, e, servir melhor o meu próximo. Deus tenha misericórdia do seu povo!