segunda-feira, 11 de maio de 2015

É TEMPO DE DESPERTAR


Por Nonato Souza

“E isto digo, conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé” (Rm 13.11).



Não tenho dúvidas quanto à iminente volta do Senhor Jesus Cristo. Este acontecimento, que se dará mais rápido do que muitos pensam, deve levar-nos a um despertamento e vida íntima com Cristo. Queremos ser encontrados fiéis quando Ele retornar para buscar os santos. Pelo que está diante dos nossos olhos, não temos dúvidas que o tempo da nossa salvação está próximo e o dia está raiando! É hora de despertarmos do sono e estarmos preparados para o iminente retorno do Senhor Jesus.

Apóstolo Paulo faz algumas observações admoestando os salvos quanto ao assunto. Ele diz: “DESPERTEM!” (Rm 13.11). A recomendação é para um estado de vigilância e cuidado com a vida espiritual, uma vez que se vive em um mundo distanciado de Deus que a qualquer momento será submergido no Dia da ira do Senhor prestes a ser derramada sobre a terra. O crente deve manter-se espiritualmente acordado e moralmente alerta não se deixando levar por este mundanismo avassalador que, infelizmente, está adentrando na igreja com práticas anticristã por aqueles que tendo aparência de piedade negam-lhe, porém, a eficácia (2 Tm 3.5).

Outra recomendação do apóstolo é: “Rejeitem as obras das trevas e vistam-se das armas da luz!” (Rm 13.12). A forma de vida mundana e pecadora é tão presente na vida de muitos, que o Espírito Santo quer tê-los purificados, com roupas novas. Há uma insistência por parte do apóstolo em que se deixe toda prática conhecida como “as obras das trevas”, que certamente denota comportamentos pecaminosos conforme relação resumida no versículo 13 e ainda no texto de Gálatas  5.19-21, denominada “obras da carne”.  Aqui estão vários vícios que os crentes têm por necessidade resistir no tempo presente. A lista de vícios mencionada por Paulo neste texto é a seguinte: glutonarias, bebedeiras, desonestidades, dissoluções, contendas e invejas. Pecados gravíssimos, capaz de destruir a vida espiritual dos que se apegam a tais práticas. É claro que Paulo não está fechando a lista dos pecados que podem destruir a vida dos cristãos que professam o santo nome de Jesus. A lista, certamente é muito longa e o texto sagrado menciona em outras passagens graves vícios perigosos e destruidores.  A provisão dada aos salvos enquanto esperam o retorno do Senhor, são as “armas da luz”, vida comunhão com Cristo. “Embora a batalha decisiva contra o pecado tenha sido ganha na cruz (Rm 3.21-26), e nós estejamos mortos com Cristo para o pecado (Rm 6.2), continuamos a ser influenciados pelas condições pecadoras de nossa era. Neste entretempo, nos engajamos em repetidas escaramuças com o pecado” (Comentário Bíblico Pentecostal, Novo Testamento. CPAD, pg. 902).

Por fim, Paulo admoesta: “Revesti-vos do Senhor Jesus Cristo” (Rm 13.14). “Cresçam!” Tornem-se semelhantes com o Senhor Jesus em suas obras diárias! Para um crescimento saudável, o crente deve alimentar-se de forma saudável. Nada de alimentar-se com as coisas da carne, valorizando-as. Se assim fizermos, seremos fatalmente destruídos. Revestir-se de Cristo Jesus é encher-se de pureza, sobriedade, temperança, sossego, benevolência, amor, etc. É despir-se da carne com as suas concupiscências por completo. Paulo, numa só sentença: “Mas revesti-vos do SENHOR Jesus Cristo e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências”, mostra a plenitude da vida cristã: o que pertenceu ao tempo antigo deve ser deixado completamente e o que pertence à nova vida em Cristo deve ser vestido. Aqui está o significado do que é ser cristão.


É tempo de despertar! É iminente o retorno do Senhor Jesus! Maranata!

Nenhum comentário:

Postar um comentário