sábado, 20 de abril de 2013

Carta De Brasília: CGADB Se Posiciona Contra Pontos Polêmicos Do Novo Código Penal


cgadb-brasilia-df-2013
Fórum Político da CGADB discutiu a reforma do Código Penal Brasileiro, e elaborou a “Carta de Brasília”, documento que expõe posicionamento da instituição para ser encaminhado ao Congresso Nacional.
Fonte: searanews
Por Paulo Pontes 
O Fórum Político da CGADB aconteceu na noite de terça-feira (9), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília-DF. Foram discutidos pontos polêmicos do anteprojeto, do Senado Federal, de reforma do Código Penal Brasileiro.
Após ampla discussão, o fórum concordou em elaborar e redigir um documento expondo o posicionamento da Convenção Geral das Assembléias de Deus para ser encaminhado ao Congresso Nacional, após apreciação dos convencionais da 41ª AGO.
O documento elaborado pelos congressistas representantes da denominação na Câmara Federal foi submetido à apreciação dos convencionais e aprovado, recebendo o nome de “CARTA DE BRASÍLIA”, para ser entregue ao senador Pedro Taques (PDT/MT), relator da Comissão Especial do Senado que discute o novo Código Penal.
O deputado federal Marcos Rogério (PDT/RO), membro da Assembleia de Deus foi encarregado de apresentar, ao senador Pedro Taques, que esteve presente ao fórum, os pontos considerados polêmicos do novo Código Penal que a CGADB se posiciona de forma contrária. De acordo com o parlamentar, o decreto que instituiu a Lei nº 2.848, de dezembro de 1940, está ultrapassado e já passou da hora de ser modificado. Mas também reconhece que alguns artigos ferem os princípios constitucionais de preservação da família. Chegou a citar como exemplo, a descriminalização do aborto, a sugestão de se regulamentar a eutanásia no Brasil, a criminalização da homofobia, a legalização da prostituição (também das casas de prostituição) e a descriminalização das drogas.
forum-politico-da-cgadb-2013A Igreja se posiciona contra o aborto e a favor da vida, mesmo nos casos em que é permitida por lei a retirada do feto, comentou o parlamentar, que expôs os argumentos que motivam a Assembleia de Deus a rejeitar a legalização da prostituição. Pela proposta do novo Código Penal, menores a partir de 12 anos estariam liberados para a prostituição e a decisão deles não seria crime. Vale ressaltar que houve uma proposta na Câmara Federal, mas ela foi rejeitada, já que os deputados acreditaram que, se aprovada, iria facilitar o tráfico de mulheres.
No fórum, o senador Pedro Taques se comprometeu a ouvir e apreciar todos os argumentos que forem apresentados pela CGADB. Mais de 500 emendas ao anteprojeto já foram apresentadas e todas foram analisadas, disse o senador, e que até 17 de julho, vão acontecer audiências públicas para discutir a proposta. Depois desta data será aberto um novo prazo, para novas emendas. De acordo com o senador a matéria tramitará no Senado até dezembro de 2013, indo em seguida para a Câmara, responsável por revisar o texto.
Leia na íntegra o documento do Fórum Político da CGADB:
Os ministros das Assembleias de Deus no Brasil, reunidos na 41ª Assembleia Geral Ordinária da CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL (CGADB), nos dias 08 a 11 de abril de 2013, acatando proposta do I FÓRUM POLÍTICO DA CGADB, diante das iniciativas de segmentos liberalistas que defendem a destruição de valores éticos e morais, conquistados ao longo dos séculos, como apanágio da Democracia, vêem a público para MANIFESTAR SEU POSICIONAMENTO cristão e ético com relação às seguintes ameaças de caráter constitucional, ideológico, filosófico e social, contra os valores e princípios morais, nos seguintes assuntos:
I – CONTRA O DIREITO NATURAL À VIDA
O artigo 5°. da Constituição brasileira garante “a inviolabilidade do direito à vida”, bem como a outros direitos essenciais à liberdade e a igualdade entre a sociedade.
1. ABORTO – O anteprojeto do “Novo Código Penal Brasileiro” (NCP) prevê a descriminalização do aborto, banalizando a destruição de seres humanos, no ventre materno. É uma terrível agressão ao direto natural à vida. Esse anteprojeto prevê, em seu Artigo 128: “Não há crime de aborto se: … IV – por vontade da gestante até a 12ª semana da gestação, quando o médico ou psicólogo constatar que a mulher não apresenta condições de arcar com a maternidade."
- A CGADB é contrária a essa medida, por resultar numa licença ao direito de matar seres humanos indefesos, na sacralidade do útero materno; em qualquer fase da gestação, por ser um atentado contra o direito natural à vida. A palavra de Deus diz: “… e não matarás o inocente” (Ex 23.7).
2. EUTANÁSIA E ORTOTANÁSIA – O anteprojeto do Novo Código Penal prevê, em seu Art. 122, que “Matar, por piedade ou compaixão, paciente em estado terminal, imputável e maior, a seu pedido, para abreviar-lhe sofrimento físico insuportável em razão de doença grave”. “Pena – prisão, de dois a quatro anos”.
§1º O juiz deixará de aplicar a pena avaliando as circunstâncias do caso, bem como a relação de parentesco ou estreitos laços de afeição do agente com a vítima.
- A CGADB é contrária a essa medida e favorável à supressão do parágrafo primeiro, tendo em vista que não existe direito de se tirar a vida, considerando que a vida é um direito jurídico indisponível. Como cristãos, entendemos que vida é um dom de Deus, e só a Ele cabe o direito de dispor desse bem natural que é a vida.
II – LEGALIZAÇÃO DA PROSTITUIÇÃO
1. CRIMES SEXUAIS CONTRA VULNERÁVEIS. O anteprojeto do NCP prevê, em seu Art. 188: “Constranger alguém que tenha até 12 anos à prática de ato libidinoso, diverso do estupro vaginal, anal ou oral. Pena – Prisão, de quatro a oito anos”. Na legislação atual, a idade mínima para considerar-se vulnerável é de 14 anos.
- A CGADB é contrária à redução da idade para a penalização de crimes sexuais contra vulneráveis, por entender que a Sociedade Mundial de Pediatria considera “criança” o indivíduo de até 14 anos. A criança é objeto de elevada valorização por parte de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, quando expressou: “Deixai vir a mim os meninos… pois dos tais é o Reino de Deus” (Mc……..). Concordar com essa previsão legal é concordar com o incentivo e a legalização da pedofilia.
2. FAVORECIMENTO DA PROSTITUIÇÃO DE MENORES. O Art. 189 da proposta do NCP não penaliza a submissão, a indução, a atração e a exploração de pessoas com mais de 12 anos, para a prática da prostituição.
- A CGADB é contrária a essa medida, por ser um incentivo à prostituição, que é uma atividade degradante, que avilta a dignidade do corpo humano, criado por Deus, para ser “templo do Espírito Santo” (1 Coríntios 6.19,20).
3. “PROFISSIONAIS DO SEXO”. O anteprojeto do NCP prevê legalização de casas de prostituição, bem como dos chamados “profissionais do sexo”, atividade hoje considerada ilegal.
- A CGADB é contrária a tal proposta, pois a prostituição é atividade degradante, que se caracteriza pelo vil comércio do corpo, em total afronta aos elevados princípios morais que norteiam os costumes de povos civilizados. Como cristãos, temos total repúdio à prostituição, por se considerado grave pecado à luz da palavra de Deus. (…………………). Concordar com tal medida é equiparar a prostituição a qualquer outra atividade honrosa e lícita, desenvolvida pelos cidadãos de uma nação.
III – CONTRA A FAMÍLIA
1. UNIÃO ESTÁVEL E CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO.
1.1. O Supremo Tribunal Federal aprovou a união estável de pessoas do mesmo sexo, considerando-a “entidade familiar”, em dissonância com o Art. 226, da Constituição Federal, que reconhece “entidade familiar” a união entre homem e mulher, inclusive a “união estável”, entre homem e mulher, para efeito da proteção do Estado.
1.2. O Projeto de Lei 122/ 2006, no Art. 16, parágrafo 5º, prevê punição, com 2 a 5 anos de prisão, para quem discordar da prática homossexual; e considera constrangimento, “de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica”, no Art. 20, parágrafo 5º,
- A CGADB é contrária a tais propostas, visto que, a equiparação da união sexual entre pessoas do mesmo sexo a “entidade familiar” afronta a Constituição e, acima de tudo, por ir de encontro ao princípio bíblico para o casamento, que deve ser constituído pela união entre um homem e uma mulher, conforme Gênesis 1.27 e 28;
- Deus fez o casal, formado de “macho e fêmea; prever punição para quem discordar da prática ou união homossexual, por motivo de ordem ética ou filosófica, é instituir o “delito de opinião”, que só existe nas piores ditaduras..
IV – A FAVOR DA DESCRIMINALIZAÇÃO DAS DROGAS
1. LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS. O anteprojeto do “Novo Código Penal”, em tramitação no Senado propõe a liberação de certa quantidade de droga por indivíduo, durante 5 (cinco) dias, bem como o cultivo para consumo próprio.
- A CGADB é contrária a qualquer forma de liberação ou descriminalização de drogas por entender que essa medida enseja a possibilidade de maior circulação das drogas, além de não haver evidência científica de qualquer benefício real ao usuário; Países que liberaram as drogas colheram péssimos resultados morais para a sociedade, e estão rediscutindo tais medidas liberalistas.
Brasília, 10 de abril de 2013

terça-feira, 16 de abril de 2013

1ª Semana Teológica na AD Brasília do Setor "O"

De 09 a 11 de maio do ano em curso realizar-se-á na Assembleia de Deus de Brasília – Setor “O” - Ceilândia - DF - A 1ª Semana Teológica de 2013. 

As palestras serão ministradas pelo Pr. Nonato Souza (Presidente do Conselho de Educação e Cultura Religiosa da COMADEBG; Professor de diversas matérias teológicas; Graduado em Teologia e Pós-graduado em Ciências da Religião.

Atualidade, tem surgido uma tentativa forte de se inserir não apenas uma renovação teológica, mas também litúrgica nos cultos. Novos pontos de vista, novas formas, novos métodos e padrões, estão lutando para conquistar seu espaço. Este seminário abordará pontos importantes sobre o assunto. Sua participação é importante! Faça sua inscrição:

Informações e Inscrições:
Douglas (61) 9605-4040 / 8506-0490 Ligue agora!

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Pr. José Wellington reeleito presidente da CGADB para o quadriênio 2013 - 2017

Os eleitos em negrito e grifados.

Presidente:
JOSÉ WELLINGTON – 9.003
SAMUEL CÂMARA – 7.407

1º Vice-presidente (Região Sul
UBIRATAN BATISTA JOB – 8.077
IVAL TEODORO DA SILVA – 7.558

2º Vice-presidente (Região Centro-Oeste)
SEBASTIÃO RODRIGUES DE SOUZA – 7.916
SÓSTENES APOLOS DA SILVA – 7.505

3º Vice-Presidente (Região Norte)
GILBERTO MARQUES DE SOUZA – 6.995
JONATAS CÂMARA – 6.860
LEONARDO LUZ – 1.602

4º Vice-presidente (Região Nordeste)
JOSÉ ANTONIO DOS SANTOS –  7.967
PEDRO ALDI DAMASCENO – 7.385

5º Vice-presidente (Região Sudeste)
TEMOTEO RAMOS DE OLIVEIRA – 8.252
ELYEO PEREIRA – 6.897

1º Secretário (Região Sul)
 PERCI FONTOURA – 7.624
NILTON DOS SANTOS – 7.459

2º Secretário (Região Centro-Oeste)
ANTONIO DIONIZIO DA SILVA – 8.122
LUCAS ARAÚJO DE SOUZA – 6.999

3º Secretário (Região Norte)
PEDRO ABREU DE LIMA – 7.523
OTON MIRANDA DE ALENCAR – 7.222

4º Secretário (Região Nordeste)
ROBERTO JOSÉ DOS SANTOS – 7.405
MANOEL MONTEIRO – 7.224

5º Secretário (Região Sudeste)
JONAS FRANCISCO DE PAULA – 6.883
ISAIAS LEMOS COIMBRA – 6.054
NILSON ALVES – 1.254

1º Tesoureiro (Região Sudeste)
IVAN PEREIRA BASTOS – 7.236
JOSIAS DE ALMEIDA SILVA – 7.002
REGINALDO CARDOSO DOS SANTOS – 1.492

2º Tesoureiro (Região Sudeste)
ALVARO ALEN SANCHES – 7.868
NEHEMIAS GASPAR DE ARAÚJO – 7.674

Conselho Fiscal:

1ª Região (Região Sul)
JERÔNIMO DOS SANTOS – 8.202
JOSÉ POLINI – 7.243

2ª Região (Centro-Oeste)
GEOVANI NERES LEANDRO DA CRUZ – 7.977
RINALDO ALVES DOS SANTOS – 7.265

3ª Região (Norte)
JOEL HOLDER – 4.994
JEDIEL LIMA – 7.161
ISAMAR PESSOA RAMALHO – 2.595

4ª Região (Região Nordeste)
ISRAEL ALVES FERREIRA – 7.232
ANTONIO JOSÉ DIAS RIBEIRO – 7.935

5ª Região (Região Sudeste)
EDSON EUGÊNIO VICENTE – 6.163
LUIZ CEZAR MARIANO SILVA – 6.278
SAMUEL RODRIGUES – 1.986


Fonte: cpadnews

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Programação da 41ª AGO da CGADB no Distrito Federal


Número final de ministros inscritos de todo o país é de mais de 24 mil

Mais de 24 mil ministros estão inscritos para participar da 41ª Assembleia Geral da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), que será realizada em Brasília de 8 a 12 de abril. Esta já é, como adiantamos na edição passada do MP, a maior edição da história da CGADB em números. Esse montante de inscritos representa cerca de 40% de todos os membros ativos da CGADB.

As reuniões da 41ª AGO ocorrerão no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade Sarah Kubitschek, considerado o maior parque urbano do mundo, superando, inclusive, o Central Park, de Nova Iorque. Fundado em 11 de outubro de 1978, ele é chamado pela população de “Pulmão de Brasília”. O Parque da Cidade tem 4,2 milhões de metros quadrados, o equivalente a 420 hectares, e o seu Pavilhão de Exposições é considerado o terceiro maior pavilhão coberto do país, com 55 mil metros quadrados.

As reuniões convencionais durante o dia serão no Pavilhão, bem como os cultos à noite. No Centro de Convenções Ulisses Guimarães, serão realizadas durante o dia as reuniões da União de Esposas de Ministros das ADs no Brasil (Unemad).

Programação 

A programação do evento já está definida, bem como os preletores dos cultos à noite e dos devocionais durante o dia nas plenárias convencionais.

Na noite de abertura, dia 8 de abril, o pregador será o pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB, que ministrará sob o tema “O Espírito Santo Glorificando a Cristo”.

Na manhã e tarde do dia 9 de abril, os preletores dos devocionais que antecedem as plenárias convencionais serão os pastores Roberto José dos Santos (PE), líder da Convenção das ADs do Ministério de Abreu e Lima, que ministrará sobre “O Espírito Santo Glorificando a Cristo na Santificação”, e Ubiratan Batista Job (RS), líder da Convenção das ADs no Rio Grande do Sul, que discorrerá sobre “O Espírito Santo Glorificando a Cristo na Salvação do Pecador”. À noite, o preletor será o pastor Leidir Aparecido Ribeiro (MS), com o tema “O Espírito Santo Glorificando a Cristo na Unidade do Corpo de Cristo”.

Na manhã e tarde do dia 10 de abril, os preletores dos devocionais serão os pastores José Antônio dos Santos (AL), líder da Convenção da AD em Alagoas, que ministrará sobre “O Espírito Santo Glorificando a Cristo no Arrebatamento da Igreja”, e Anísio do Nascimento (RJ), secretário-executivo da Secretaria Nacional de Missões (Senami) da CGADB, que falará sobre “O Espírito Santo Glorificando a Cristo na Obra Missionária”. À noite, o preletor será o pastor Josué Brandão (BA), com o tema “O Espírito Santo Glorificando a Cristo Através dos Dons Espirituais”.

No dia 11, não haverá preleções nem pela manhã e a tarde, nem à noite, pois o dia inteiro será dedicado à eleição da Mesa Diretora e Conselho Fiscal da CGADB, e à apuração dos votos. No dia 12 de abril, pela manhã, também não haverá preleção, mas apenas a sessão de encerramento, com posse dos eleitos.

Fonte: Jornal Mensageiro da Paz.