sexta-feira, 17 de maio de 2013

´Mídia no Brasil estimula erotização precoce das crianças´, diz Guilherme Schelb


Brasil ocupa o primeiro lugar dos países do mundo em destino de turismo sexual com crianças

Guilherme Schelb, honorário da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) e procurador regional da República, falou sobre a atuação de pedófilos no Brasil. Ele criticou fortemente o estímulo sexual inserido já no ambiente infantil e escolar e ressaltou que essa é uma realidade característica do país. Um curso sobre violência sexual infanto-juvenil será ministrado por ele.

Os temas de erotização e abuso sexual de crianças e adolescentes foram debatidos no programa de rádio da ANAJURE, na última segunda-feira (13). Guilherme Schelb trabalha há mais de 20 anos investigando casos de violência sexual contra crianças e adolescentes por todo o Brasil.

Schelb destacou a mídia e materiais de uso pedagógico que estimulam a erotização precoce. “Há um movimento organizado no mundo, em diversos países, inclusive no Brasil, que defende o direito da criança de manter relações sexuais com adultos. É a corrupção e a perversão sendo trazida para o cotidiano, como se fosse algo trivial, como uma regra de trânsito”, destacou. Ele alertou a sociedade a respeito de um grupo social que reivindica a autonomia de vontade para a criança de decidir sobre a relação sexual.

“As crianças, especialmente agora no Brasil, é um fenômeno do Brasil, as crianças são estimuladas de forma abusiva nas mídias, estão trazendo as crianças para um ambiente de fatos e conhecimentos profundamente eróticos, fora do seu normal desenvolvimento”, acrescentou Schelb.

Ele também criticou alguns estilos de música brasileira. “Algumas formas que a letra é absolutamente desaconselhável para uma criança em desenvolvimento ouvir. Por exemplo, uma música que exorta a transar, fazer sexo, consumo de drogas e bebidas”, condenou.

“Nesse contexto social extremamente erotizado, as crianças brasileiras já imersas nesse ambiente deturpado. Isso é uma realidade brasileira. Há um processo em que a criança já está sendo levada a uma autonomia de vontade de decidir pela relação sexual muito precocemente”, explicou o procurador.

Como uma ação para combater a pedofilia, um curso online será promovido. Serão discutidas “orientações para identificar e encaminhar situações suspeitas envolvendo crianças e adolescentes no cotidiano das famílias”, informou a ANAJURE. Com custo simbólico, terá a carga horária de 30 horas e será ministrado por Guliherme Schleb. Tem como público-alvo pais, líderes cristãos, estudantes e interessados em geral e será fornecido certificado de participação.

O Brasil ocupa o primeiro lugar dos países do mundo em destino de turismo sexual com crianças. Hoje, 76% dos pedófilos atuam no país. A ANAJURE lançou uma Campanha Nacional contra a Erotização e Abuso Sexual Infanto-Juvenil.

“O objetivo é alertar a sociedade e mais especificamente a igreja evangélica brasileira sobre esta triste realidade. Não só alertar, como também informar e ajudar. Nossa luta é árdua porque sabemos que, por exemplo, a erotização infantil é uma das bandeiras do movimento LGBT brasileiro, assim como o é a pedofilia, que eles chamam disfarçadamente de ‘redução da idade do consentimento sexual’. Estamos atentos a tudo isso e combatendo o bom combate em todo o país, com a nossa rede de juristas”, disse Uziel Santana, presidente do Conselho Diretivo Nacional da ANAJURE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário