segunda-feira, 22 de outubro de 2012

35º AGO da COMADEBG recebe obreiros de várias partes da federação para tratar sobre o genuíno movimento pentecostal.

Obreiros da COMADEBG (Convenção de Ministros das Assembleias de Deus de Brasília e Goiás), reuniram-se sob a presidência do pastor Orcival Pereira Xavier, no templo sede da Assembleia de Deus, na cidade de Taguatinga – DF, nos dias 19,20,21 de outubro de 2012, para tratar de assunto relacionados ao Reino de Deus.
Sob o esfuziante tema: “O genuíno movimento pentecostal”, os membros desta respeitada convenção desfrutaram de momentos de comunhão, presença de Deus e alegria espiritual.
Os cultos concentraram uma grande multidão de irmãos alegres e dispostos a adorar a Deus. Cada louvor se via a manifestação da graça de Deus em expressão de louvor e gratidão pela satisfação de servir ao Senhor.
Foi dada ênfase ao aniversário da COMADEBG, completando agora 21 anos de sua fundação, sendo lembrado o início do trabalho, tão pequeno, e o crescimento dado por Deus até o momento atual. “Temos motivos para agradecer a Deus, me ajudem a agradecer a Deus por tão grandes bênçãos”, pediu pastor Orcival Xavier à igreja presente.
Os trabalhos se desenvolveram dentro da mais perfeita harmonia, aliás esta é uma marca da nossa convenção, lembra sempre pastor Orcival Xavier, nosso presidente. Destaque para a presença do pastor José Welington Bezerra da Costa (SP), presidente da nossa CGADB, que esteve presente todo o sábado e ministrou nas duas plenárias, manhã e tarde. Também esteve presente pastor José Antonio dos Santos (Al), presidente da COMADAL, que ministrou no culto de abertura da 35ª AGO.
Sob o tema: “O genuíno movimento pentecostal”, os palestrantes se debruçaram sobre os sub-temas: “O batismo com o Espírito”, “Os dons ministeriais” e “A influência do neopentecostalismo no movimento pentecostal clássico”. Os presentes ao referido evento foram levados à reflexão sobre o momento que se está vivendo, marcado por imitações, inovações, falsificação e mudanças injustificáveis dentro da igreja e sobre o cuidado em manter a pureza doutrinária e distante das influências que tentam aportar em nossas igrejas.
O pastor Nonato Souza que falou sobre “A influência do neopentecostalismo no movimento pentecostal clássico”, encerrou suas palavras dizendo que é preciso voltar à mensagem da cruz. “A igreja tem o Evangelho, e este nos é suficiente. Haverá sempre alguns que estarão dispostos a acrescentar novas cargas, novas bagagens ou fórmulas ao que o Evangelho tem de mais puro. Voltemos á mensagem da cruz, o neopentecostalismo não tem nada a nos oferecer”, concluiu o palestrante.

Fotos do evento:








segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Evangelizar é, de fato, uma responsabilidade da igreja?


“Disse-lhes, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós” (Jo 20.21).
evangelizar

Evangelizar é uma responsabilidade da igreja?

Por pastor Raimundo Nonato Souza, para o blog Desafiando Limites.
Estou de volta, depois de alguns dias sem escrever neste respeitado blog. As ocupações me deixaram ausente por alguns dias; na verdade estava debruçado em outro projeto. Terminada a tarefa sob minha responsabilidade, aqui estou. Desta feita, quero abordar um assunto que para alguns cristãos é importante, pela sua significância, apesar de ser comum e sem relevância para outros.
O texto acima aborda a comissão dada por Cristo aos seus discípulos como anunciadores das Boas Novas ao mundo. Assim como ele tinha sido representante do pai, Jesus lhes envia debaixo da mesma autoridade para pregar, ensinar, realizar milagres por todo mundo, dando continuidade àquilo que Ele tinha iniciado na Judéia. Da mesma forma que o Pai enviou o seu Filho, Jesus envia os seus seguidores.
Bem, vamos ao assunto, mais especificadamente. Quem não ouviu falar sobre “evangelismo”, “evangelizar”. Ora, este é assunto quase que diário dos cultos e reuniões das igrejas locais. Sempre que possível, e lembrado, se fala sobre o assunto. Apesar do bombardeio constante sobre os cristãos para evangelizarem, pois esta é a nossa responsabilidade, o que se vê é um verdadeiro descaso com o assunto.
Não tenho dúvida que existe certo abandono desta prática tão prima na igreja local atualmente. Há muitos que, acomodados dentro das quatro paredes, raramente se aventuram numa saída ao campo evangelístico. Satisfeitos e acomodados em nossos belos e aconchegantes templos, torcemos e até convidamos esporadicamente alguns a vir em nossos cultos ouvir nossas pregações, em sua maioria pobre de doutrina bíblica e boa hermenêutica, baseada num antropocentrismo que tem como objetivo, apenas, satisfazer o ego dos homens. Uma tristeza!
Lembro-me, outrora, que estávamos acostumados a sair às ruas e bairros de nossas cidades objetivando levar o Evangelho de Cristo a todos que carentes de palavras de vida, que estavam à espera dos santos que anunciavam ousadamente o amor de Deus em Cristo. Estamos perdendo essa característica em nossas igrejas. Aliás, senhores, se nossa igreja cresceu tanto e se chegamos aonde chegamos, deve-se isto à prática constante e perseverante daqueles que diuturnamente se aventuram pelas ruas, bairros, logradouros públicos, feiras, na prática do genuíno evangelismo pessoal, cultos ao ar livre, nas casas, praças, ônibus, metrôs etc, proclamando as verdades do Evangelho de Cristo, capaz de salvar o pecador dos seus miseráveis pecados e transformá-los em novas criaturas.
Quando os santos do Senhor exerciam de fato a prática do evangelismo, normalmente toda a semana se via anunciar em nossos cultos, leitura de uma lista interminável de nomes de novos convertidos, que receberam a oração da fé, quando decisivamente aceitaram crer no Evangelho de Cristo para ser discipulados pela igreja. Fazia-se discipulado de novos conversos com grande alegria e poucos desses ficavam para trás, devido ao cuidado que a igreja tinha com os mesmos.

Um retorno à prática do evangelismo.placa-retorno

Hoje, sinto a necessidade urgente de um retorno a esse trabalho espiritual. Não estou falando da criação de um simples “departamento de evangelismo” composto por um líder e alguns poucos componentes que pouco ou nada fazem, embora se esforcem para cumprir tal tarefa. Isso nós já temos. Estou falando de tornarmos a igreja local num grande departamento evangelizador, levando-a a sentir arder no coração a chama do Espírito, apiedando-se de muitos que caminham para a perdição, arrebatando-os do fogo do inferno (Jd vs. 22,23).
Entendo que a prática do evangelismo na igreja está alicerçada em necessidades básicas fundamentais. Todos necessitam da salvação em Cristo Jesus, pois tendo o homem através de um ato de desobediência pecado contra Deus, ficou debaixo da condenação (Rm 3.23; 5.12), podendo então, ser liberto somente em Cristo Jesus, nosso Senhor (Rm 5.8-11; Jo 8.36). Esta salvação só poderá ser alcançada com exclusividade na pessoa bendita de nosso Senhor Jesus Cristo. Não há outro nome pelo qual se possa alcançar o bendito dom da salvação (At 4.12).
Gosto da expressão de Jesus diante da murmuração do povo e líderes religiosos quando entrou na casa de Zaqueu com salvação. Jesus revela claramente que o estado do homem sem Deus é de perdição:
“Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Jo 19.10; o grifo é meu).
Ora, pelo texto acima, entende-se que sem Cristo o homem está irremediavelmente perdido. Nenhuma religião tem poder para salvar o homem. Ainda que este pratique boas obras, não poderá atender as demandas da lei de Deus. Morto em suas ofensas e pecados, o homem não tem nenhuma capacidade ou condição de salvar-se. Aos que estão perdidos, a igreja deve evangelizar (gr.euaggelion), anunciando as Boas Novas de Deus, perfeitamente compreensível a todos, para que possa encontrar a única Porta de entrada para o céu, o único Caminho para encontrar Deus: Jesus Cristo, o Salvador do mundo.

Evangelizar é apresentar Jesus como único recurso para salvação da raça humana caída.

frustracaoEssa é uma verdade que precisamos viver cada dia. Evangelizar é na verdade, apresentar Jesus, como único recurso na economia divina para salvação de todo aquele que crê. Aqui se encaixa o papel da Grande Comissão que não é uma opção, mas um mandamento imperativo repetido em todos os evangelhos, além de Atos dos Apóstolos. Não temos outra opção senão nos envolver ardentemente, pois todos que alcançados foram pelas bênçãos do evangelho são também enviados a compartilhar do evangelho.
A tarefa evangelizante é responsabilidade de cada salvo. Não é e nem deve ser objeto de indagação, se podemos ou se devemos ou não evangelizar.Evangelizar é uma ordem. Observa-se no tempo presente a quantidade enorme de desculpas dadas sempre por aqueles que se escusam da responsabilidade para com a obra evangelística. Ouço cristãos (cristãos?) dizerem sobre suas eternas ocupações e por isso não tem tempo para tão importante trabalho. Ora, será que o crente anda tão ocupado que não consegue ouvir o clamor de milhões de almas aflitas, distantes de Deus?
Outros há que enfatizam o cansaço, stress e que não tem condições físicas e emocionais para levar a mensagem salvívica aos corações. Neste caso é bom observar o belo exemplo de Jesus que mesmo estando cansado da viagem não deixou de cumprir sua missão evangelizando a mulher samaritana junto à fonte de Jacó (Jo 4.6). Porque tanto descaso com tão importante tarefa? Ou não temos convicção que a missão de evangelizar o mundo nos foi entregue e implica em grande responsabilidade e dever?
A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da minha boca e lha anunciarás da minha parte. Se eu disser ao ímpio: ó ímpio, certamente morrerás; e tu não falares, para desviar o ímpio do seu caminho, morrerá esse ímpio na sua iniquidade, mas o seu sangue eu o demandarei da tua mão. Mas, quando tu tiveres falado para desviar o ímpio do seu caminho, para que se converta dele, e ele se não converter do seu caminho, ele morrerá na sua iniquidade, mas tu livraste a tua alma (Ez 33.7-9; grifo é meu).
Eu sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes (Rm 1.14; o grifo é meu).
Porque se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim se não anunciar o evangelho (1 Co 9.16; o grifo é meu).
Ora, a ordem do Senhor é enfática aos que recebeu dEle talentos: “Negociai até que eu venha” (Lc 19.13). Se cada crente recebeu do seu Senhor talentos e a ordem é para negociar os mesmos com nosso trabalho, porque estamos parados, inertes, omisso? Saiba que seremos chamados à prestação de contas da nossa mordomia no tempo certo (Lc 16.2).

Somos desafiados à prática do evangelismo. Vamos atender a este desafio?

challenge-aceptedO soluço de milhões de almas deviam nos incomodar diuturnamente a ponto de levar-nos ao sentimento de profunda compaixão em oração constante pela salvação das almas e trabalho do Senhor. Lionel Fletcher escreveu:
Todos os grandes ganhadores de almas através dos séculos foram homens e mulheres incansáveis na oração. Conheço como homens de oração quase todos os pregadores de êxito da geração atual, tanto como os da geração próxima passado, e sei que, igualmente, foram homens que oravam intensamente (citado por Orlando Boyer no livro heróis da Fé, CPAD, pg. 4).
A preocupação constante dos homens de Deus, o sentimento de compaixão profunda pela salvação do pecador os levavam frequentemente à presença de Deus em oração intercessória objetivando ver multidões aos pés do Salvador. Sabe-se que este trabalho se torna impossível se não for regado pela oração constante e abdicação de tudo que está à nossa volta. Lembro-me das palavras de Davi Brainerd, arauto enviado aos peles vermelhas (1718 – 1747), já doente e perto da sua morte:
Eis-me aqui, Senhor, envia-me a mim até os confins da terra; envia-me aos selvagens do ermo; envia-me para longe de tudo que se chama conforto da terra; envia-me mesmo para a morte, se for no teu serviço e para promover o teu reino… Adeus, amigos e confortos terrestres, mesmo os mais anelados de todos. Se o senhor quiser, gastarei a minha vida, até os últimos momentos, em cavernas e covas da terra, se isso servir para o progresso do reino de Cristo (citado por Orlando Boyer, livro Herois da Fé, CPAD, pg. 77).
Ganhar almas! Pugente expressão que está sendo esquecida do nosso vocabulário cristão. Não foi esta a suprema tarefa do Senhor Jesus Cristo aqui na terra? (Lc 19 10). Não recebeu Paulo a mesma visão e dedicação? (1 Co 9.20). Não instou o apóstolo dos gentios a que seguíssemos o seu exemplo? (1 Co 11.1). Por que, então, a maioria dos crentes se contenta em ficar comodamente sentados nos bancos das igrejas ouvindo sermões cultos após cultos, enquanto os campos estão brancos, prontos para ser ceifados? Não é tempo de tomar decisões e levantar os olhos, para contemplar as multidões que vivem como ovelhas sem pastor?
Deus tenha misericórdia de nós! O poder temporal dos romanos, a filosofia grega e a religiosidade dos judeus não puderam atender os reclames da geração daquele tempo. Somente o evangelho, pregado no poder do Espírito Santo através da Igreja foi capaz de satisfazer suas reivindicações e necessidades espirituais.
Se quiser, poderás te tornar um ganhador de almas. Nada nem ninguém poderá te impedir. Há um chamado geral para todos os crentes: você e eu podemos e devemos fazer parte disso.
A evangelização levará os povos a glorificar e exaltar o santo nome do Senhor. É bom que se diga que o centro da evangelização na igreja não é o homem, mas Deus. O trabalho evangelístico tem como objetivo principal arrebatar o homem do inferno, mas, sobretudo, esse é um trabalho que glorifica o nome de Deus. Deus será glorificado sempre e sempre na salvação dos homens perdidos.
Você está disposto a ir em busca dos perdidos com a bendita mensagem de esperança e fé? Muitos anseiam ouvir isso mas, infelizmente, poucos estão dispostos a investir seu tempo nessa sublime tarefa.
perdido

Conclusão

Senhoras e senhores, o amor que Jesus demonstrou no Calvário por cada um de nós deve nos constranger e entender que uma alma vale mais que o mundo inteiro (Mc 8.36,37). Gosto muito do que disse pastor Gilberto no seu livro: “A prática do evangelismo pessoal”:
Se, como parte de um curso de evangelismo pessoal, tivéssemos de passar 24 horas no Inferno, para ver o que se passa lá entre os perdidos, ao voltarmos, toda nossa vida giraria em torno da obra de evangelizar e ganhar almas perdidas, e também desviados, e jamais pôr tropeço na vida de alguém. Você já pensou nisso?
Irmãos estejam certos, a tarefa evangelística é imposta à igreja de Cristo. Em todos os tempos oevangelismo foi prioridade número um dos salvos em Cristo Jesus. Cada momento nos aproximamos da iminente volta do Senhor Jesus. É hora de despertar. Não podemos perder a oportunidade de ganhar almas enquanto é dia, a noite vem quando não poderemos mais trabalhar (Jo 9.4). Além disso, devemos olhar com cuidado a recomendação bíblica que nos diz: “[...] o que ganha almas sábio é” (Pv 11.30).
Que o Senhor nos ajude!
*O pastor Raimundo Nonato serve ao Senhor pastoreando a igreja, além de ser um servo de Deus e fiel.
E você, o que você achou do artigo? Será que evangelizar é, de fato, responsabilidade da igreja? E se for, estamos cumprindo nosso dever? E, ainda, será que estamos fazendo do jeito certo?
São tantas questões… deixe-nos sua opinião e nos ajude a respondê-las adequadamente.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

8 Valiosas Lições Que Farão de Você um Vencedor

Por Wallace do  blog Desafiando Limites

vitorioso-cristao

8 Valiosas Lições Que Farão de Você um Vencedor

18. Ao que disse ela: Ache a tua serva graça aos teus olhos (seguir bons conselhos). Assim a mulher se foi (seguir em frente) o seu caminho, e comeu (alimentar seu sonho), e já não era triste o seu semblante (bye, bye tristeza). 19. Depois (perseverar em seu objetivo), levantando-se (disposição para lutar por seu objetivo) de madrugada (iniciar cedo a preparação para atingir seu objetivo), adoraram (cultivar uma atitude de gratidão) perante o Senhor e, voltando, foram a sua casa em Ramá. Elcana conheceu a Ana, sua mulher, e o Senhor se lembrou dela. (grifos acrescidos)

Introdução

Observaçãose achar o texto grande, tente ler por partes ou lendo as lições que achar mais interessantes ou, ainda, escolhendo as lições que atenderem suas necessidades no momento. De qualquer forma, lendo tudo, muito, pouco ou nada, obrigado por nos prestigiar. Espero, sinceramente, corresponder à expectativa que o título trouxe, embora saiba que isso é muito difícil de alcançar. Se você conseguir a façanha de chegar ao fim do texto, nos vemos lá, ok? =)
Os reveses e frustrações da vida nos desanimam e querem nos forçar a desistir. Isso acontece comigo, com você, com seu vizinho, colega ou parente. É normal se abater diante das dificuldades e provações. E, justamente nesses momentos de angústia e dúvidas é que nos sentimos perdidos, desamparados e desorientados. Quando isso acontece, o que podemos fazer e, mais importante, como devemos agir nessas situações? Não perca a esperança nem se desespere, pois a Palavra de Deus nos oferece a resposta certa.
Observe que vários personagens bíblicos passaram por situações semelhantes à que você – talvez – esteja passando. Uma dessas foi Ana, esposa de um homem chamado Elcana, há muito (muito) tempo atrás. Ana era estéril, embora cultivasse o desejo de ser mãe. Naquela época, isso era motivo de escárnio e zombaria, e era isso que ela sofria constantemente. E você pensando que esse tal de bullying era coisa recente, não é? Pois é: não era.
A vida de Ana não era assim, digamos, tão ruim, mas também não era completa. Faltava algo. Talvez esse seja, também, o seu caso: falta algo para que sua vida seja completa. No caso de Ana, ela se viu diante de perspectivas muito desanimadoras, chegando apensar que seu sonho jamais se tornaria realidade. Já aconteceu isso com você, de achar que seu sonho não se realizaria? Mas Ana, ao confiar em Deus, teve sua vida totalmente transformada por uma palavra abençoadora de um homem de Deus.
Sim, Deus mudou a história de Ana. E se Deus mudou a história de Ana, pode mudar a sua também, mesmo que seu nome seja Maria, Pedro, João, Augusto, Isaque ou… como é mesmo que você se chama (risos)? Mas, como sua vida pode mudar? Colocando em prática as lições que Ana nos deixou, sua vida vai mudar sim, e para melhor. Quer tentar? Me acompanhe na breve análise das preciosas lições que podemos extrair desses dois pequenos versos.
Mas… E se sua vida não melhorar depois disso? E se for uma perda de tempo colocá-las em prática? Essas podem ser dúvidas legítimas. Afinal, que garantia de mudança você tem? Para essas perguntas, eu lhe respondo o seguinte:
Meu amigo, depois de você ler e aplicar essas lições em sua vida, as chances de ela não mudar são ZERO!
Palavra de quem experimentou – e aprovou – isso na prática. Uma coisa é certa: se funcionou comigo, um ex-derrotado, vai funcionar com você, um aspirante a vencedor. Vamos às lições.
professor experiente ensinando

1ª. Lição: Ouvir bons conselhos de pessoas mais experientes

Ana estava enfrentando uma situação complicada e melindrosa: ela era ridicularizada, perseguida e humilhada em sua própria casa, e não podia se defender das acusações sofridas. Ela foi tentada, posso perfeitamente supor isso, a pensar que o culpado dessa perseguição era o próprio Deus. Sim, pois quem mais seria responsável por ela não poder ser mãe? Mas, Ana foi buscar em Deus a resposta para suas necessidades e angústias.
De inicio, o sacerdote não entendeu o que se passava na alma daquela mulher. Mas, ao saber da real situação, mudou de opinião e pronunciou a palavra de bênção sobre a vida de Ana, que soou como um conselho: “vai em paz…”
Nossa cultura tem um ditado popular bastante equivocado:
se conselho fosse bom, não se dava, era vendido“.
Uma análise crítica desse ditado nos revela algumas coisas interessantes, senão vejamos. As pessoas que usam desse expediente estão pavimentando o caminho para o próprio fracasso, assumindo uma postura arrogante, como se fossem auto-suficientes e infalíveis. Ao agir assim, desprezam valiosos conselhos de pessoas mais experientes que, de outro modo, poderiam mudar sua sorte.
Demonstram, também, não possuir visão de longo prazo, ou seja, carecem de visão de futuro, enxergando apenas a ponta do nariz (ou do umbigo). E, completando a cereja do bolo, mostram-se ingratos. Pessoas assim, que não dão ouvidos a bons conselhos, do tipo que entra por um ouvido e sai pelo outro, é porque têm a cabeça oca, são cabeças de vento, ou seja, não tem nada dentro da cabeça que sirva de barreira para que as palavras permaneçam ali. É como um cano, em que você fala de um lado e se ouve do outro, sem nada no meio para impedir a propagação do som.
Quem tem algo dentro da cabeça, dá ouvidos aos bons conselhos. Quem não ouve, é porque não tem nada na cabeça, nem miolos. Resumindo? Esse tipo de atitude poderia ser intitulado “o mapa do desastre”. Pessoas humildes sempre aceitam conselhos de pessoas mais experientes. Isso, inclusive, pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso.
Quer mudar de vida, mas mudar para melhor? Aceite conselhos, bons conselhos de quem tem algo relevante a dizer. Achar pessoas assim não é fácil, mas se você encontrar um desses dando sopa, levante as mãos pro céu e abra bem os ouvidos. Não raro, isso pode ser um presente descendo direto do Céu pra sua vida.
#resumo: não ignore conselhos, pois eles podem – até – salvar sua vida!

placa SIGA EM FRENTE2ª. Lição: Seguir em frente

Acerca de seguir em frente, penso que não teria muito a escrever, justamente porque alguns de meus melhores textos (na avaliação dos leitores, até hoje) versa sobre o assunto, sendo eles:
Nota de esclarecimento: nesse cômputo não estão contabilizados os “curti” e +1, do Facebook e Google, respectivamente, pois tem sistemas próprios e sua base de dados é mais volátil. Todavia, esses votos também são importantes e sua soma, de cada post, se eleva a dezenas de votos. Outro item muito importante é o de comentários recebidos que, em alguns dos posts mencionados, ultrapassa os votos recebidos, podendo ser considerada outra forma de valorizar o post.
Mas, longe de querer me autopromover (ok, é uma forma de autopromoção, mas só um tiquinho de nada… risos), quero demonstrar minha gratidão pelas avaliações e, mais importante do que massagear meu ego, é o feedback que ele nos dá. Em outras palavras, cada voto (além do comentário dado) é um testemunho discreto e silencioso de que o texto foi útil, agradou ou, quem sabe, ambos. Essas coisas são, para quem escreve, um incentivo e tanto.
Essa quantidade de votos, na verdade, esses textos estarem entre os mais votados (ou queridos, pelos leitores), nos diz que a tentação de parar no meio do caminho é grande. Uma das razões para que tantos leitores se identifiquem com esses textos é que, IMHO, eu conto minhas experiências pessoais e de como fui tentado a desistir. As pessoas querem ler testemunhos de pessoas reais, de carne e osso, que enfrentaram situações parecidas às que elas estão sofrendo. Elas querem, em última análise, não ler histórias de vitórias fabulosas, mas histórias reais com finais factíveis, onde elas possam receber o alento de se tornarem protagonistas de seu próprio destino.
As cobranças das redes sociais, familiares, profissionais e outras, tendem a nos sufocar com o passar do tempo. Mas, talvez, as cobranças do espelho sejam as mais cruéis e difíceis de se lidar. Esse peso constante e opressor por resultados no fim do mês e sorrisos no começo do dia torna nosso dia-a-dia sufocante. Seguir em frente deixa de ser uma obrigação e passa a ser mera opção: vou continuar? Mas, está tão difícil!
Conforme o tempo passa, os custos de seguir em frente parecem muito altos para nossas parcas economias, com o estoque de ânimo em baixa na prateleira mental. É nesses momentos em que você vai mostrar – aos outros e a si mesmo – de que material você foi feito e qual é a fibra de seu caráter.
#dica: vencedor não é aquele que sempre vence, mas o que, mesmo tendo sido derrotado várias vezes, insistiu e venceu na única vez que realmente importava: naúltima.
alimentando-sonhos-amanha

3ª. Lição: Alimentar seus sonhos

Ana tinha um sonho: ser mãe. Como ela conseguiu alimentar o sonho de, um dia, amamentar um bebê, sendo estéril? Não sei, só sei que foi assim mas o fato de ela não desistir de seu sonho já nos diz muito sobre a disposição e perseverança daquela mulher de fé.
Imagine a situação de Ana: queria ser mãe, mas não podia. E a outra mulher de Elcana (uma tal de Penina, que devia ser a tatata…ravó da Maga Patalógika), vivia jogando isso na cara dela. Não devia ser fácil. Eu tomo a liberdade de especular quantas noites mal dormidas, quantas lágrimas derramadas no silêncio da noite, quanta humilhação ela deve ter sofrido calada, engolindo em seco. Mas, como todo invejoso, Penina foi citada apenas ali e desapareceu do restante da história, ficando seu nome como sinônimo de mulher invejosa, rancorosa e ciumenta. Que diferença ela fez? Nenhuma. Que legado ela deixou? Nenhum. Quem foi Penina? Não sei.
Mas, o que dizer de Ana? Ora, Ana não desistiu de seu sonho apesar de todas essas dificuldades e complicações. Qual é o seu sonho? É difícil de realizar? As pessoas vivem lhe dizendo que é impossível acontecer? Ora, não deixe seu sonho morrer de inanição: continue alimentando-o até que ele cresca e, enfim, apareça. Com que cara ficarão aqueles que, hoje, zombam de você quando você aparecer segurando seu sonho no colo? E você vai perder essa chance de mostrar que eles estavam errados em apostar em seu fracasso?
Imagine a cara de espanto da tal Penina quando Ana disse algo parecido com: “engraçado, minha menstruação está atrasada“… Imagine a cara que ela fez quando os vestidos não estavam mais cabendo em Ana. Pense na dor-de-cabeça que ela deve ter tido quando viu Ana se olhando no espelho, achando esquisita aquela barriguinha saliente. Pensou? Se você pensou – mesmo – assim como eu, deve ter deixado escapar um leve sorriso no canto da boca, não foi? Ah, para com isso, ninguém está vendo, confessa vai! Tá bom, fala só pra mim (e pro resto do mundo)… prometo não contar pra ninguém… risos
Sabe qual é a lição que você aprende aqui? Invista em seu sonho, faça ele crescer, nem que seja aos poucos, dentro de você. Um dia, ele vai nascer, e você vai ter a maior alegria de todo o mundo ao poder mostrar a todos que seu sonho se tornou realidade! Sim, e por que não? Seu sonho pode virar realidade sim. Quem está dizendo que não? Geralmente, quem não acredita em nossos sonhos, não merece nossa atenção. Aprenda com Ana: alimente bem seu sonho para que, quando ele nascer, nasça forte e saudável, apto para mostrar ao mundo a que veio.
Quem sabe, seu sonho virá para fazer diferença no mundo, tal como fez Samuel, que mudou a história de toda uma nação. Pode ser que seu sonho também seja transformador. Pode ser que não… mas, uma coisa ele vai mudar, com certeza: sua vida. Eu já alimentei vários sonhos, e eles serviram para me mostrar que era possível ir mais longe. Dê asas à sua imaginação, e deixe seu sonho voar livremente. Quem poderá dizer onde ele pousará, e que surpresas agradáveis trará?
#dica: as dificuldades, ao contrário do se pensa, não destroem os verdadeiros sonhos, mas servem como preparação para uma colheita mais saborosa e abundante.
adeus-tristeza

4ª. Lição: Dar adeus à tristeza

A tristeza, caso você ainda não saiba, rouba muito mais do que o sorriso. Ela rouba nossa força e ânimo de viver, e digo isso baseado em um trecho do livro de Neemias, que diz:
portanto não vos entristeçais; porque a alegria do SENHOR é a vossa força.Neemias 8:10
Ora, se a alegria é força, a trsiteza só pode ser fraqueza, certo? Veja este outro verso que marcou minha vida e que, nos momentos de desânimo, parecia um banho demerthiolate (sim, nasci no século passado, por quê?) em minhas feridas emocionais. Senão, observe: Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena, em Provérbios 24:10.
Quando eu tive depressão, a tristeza era minha companheira de todo dia. Eu não estava apenas triste, eu vivia triste todo dia, e o dia todo. Raro era o dia em que eu não chorava ou me lamentava por mais uma decepção ou frustração. E o pior: comecei a me acostumar com essa vida triste. E assim era minha vida: um deitar e acordar triste, amargurado. Isso quando eu não acordava de madrugada, tomado pela tristeza. Havia dias em que eu não chorava por falta de lágrimas, porque já tinha chorado às bicas no dia anterior. Estou falando sério, de verdade.
Para que você tenha uma pequena noção, houve uma noite em que fui dormir bastante abatido, triste até (linguajar nordestino, não se espante, oxente!). De madrugada, acordei com aquela amargura transbordando pelos poros e travando a garganta (ou goela, em nordestinês), liguei a luz e abri a Bíblia, que caiu nesta passagem:
Você esquecerá as suas desgraças, lembrando-as apenas como águas passadas. Jó 11.16
Aquela madrugada ficou marcada, não só para mim, como para a Bíblia também, pois várias lágrimas escorreram de minha face, caindo sobre suas páginas. Ainda hoje, essa pequena Bíblia, por meio da qual Deus me deu várias respostas, traz consigo as marcas dessa nossa relação de longa data – desde o século passado, para ser mais preciso (risos). Aquele período de minha vida deveria ser, alguém pode pensar, um período a ser esquecido e enterrado.
Entretanto, eu me lembro dele com carinho, porque hoje vejo como Deus foi fiel e cumpriu praticamente tudo daquilo que me prometeu. Hoje, eu olho para trás e contemplo a fidelidade de Deus, por meio do cumprimento de Suas promessas. Muitas vezes eu lia a Bíblia naquelas partes em que dizia que Deus havia mudado o pranto (choro) em folguedo (riso), e achava aquilo impossível de acontecer comigo. Quantas vezes eu li aqueles versículos, derramando lágrimas nas páginas da Bíblia, pedindo que Deus mudasse meu pranto em riso? Não sei, mas foram muitas vezes.
E hoje, como está minha vida? Olha, pra lhe ser sincero, é muito difícil eu chorar. Sério. Às vezes, eu fico meses sem chorar. P’ra eu chorar, tem que ser algo muito (muito) sério ou tocante, ou se Deus falar comigo. Ah, mas se Deus falar com qualquer pessoa, difícil é não chorar, nénão? Outro efeito colateral disso é que agora vivo fazendo piadinhas, variando de engraçadinhas a sem graça de tudo.dr-house-cartun
Geralmente, as pessoas não riem das minhas piadas, riem de mim. Mas,  valendo do mesmo jeito! Pessoalmente, eu faço mais sucesso como piadista no blog e, eventualmente, em alguns fóruns. Talvez porque as pessoas não me conheçam pessoalmente… quem sabe? Eu que não vou decepcioná-las me apresentando pessoalmente, certo?
Agora, falando MAIS sério, vou me dirigir a você que me lê e que está passando por duras provas. Não sei nada sobre sua vida, mas sei da minha, e posso lhe dizer com total confiança que Deus muda situações. Ele mudou a minha, e para MUITO melhor. Naquela época, eu estava desempregado, endividado, vendendo o almoço pra comprar a janta, andando a pé porque não tinha dinheiro para abastecer o velho Uninho Mille. Para completar o quadro, minha namorada ainda tinha me dado um bem dado pé-na-tábua (entendeu, né?). Em suma, eu era, naqueles dias, escarrado e cuspido, o retrato do fracasso.
Mas, Deus mudou minha história. Assim como Ana, Deus me tirou do cativeiro e fez de mim um vencedor. Hoje, eu vivo rindo à toa (ok, fazendo piadas sem graça e rindo de mim mesmo), escrevendo toneladas de bobagens em um blog semi-anônimo e… hum, melhor parar por aqui. Quem vai acreditar que isso é ser vencedor, né? Mas, se Ele fez milagres na minha vida, por que não faria na sua? E sabe como foi que o milagre começou a acontecer? Quando eu decidi dar um Bye, Be, Tristeza, não precisa voltar, Jesus entrou em cena e tomou a direção da minha vida. Meu filme, que era mais queimado que kibe de boteco de beira de estrada, Ele fez um novo roteiro, e me colocou no papel principal de um filme com final feliz.
#mudança de vida: depende muito mais de você do que dos outros. Faça a sua parte, e deixe Deus fazer a dEle.
climbing-mountain

5ª. Lição: Perseverar em seu projeto ou objetivo

Sobre perseverança, eu praticamente vou repetir as lições que mencionei na 2ª Lição (acima), já que ambas são bastante similares e complementares. Observe: seguir em frente é o mesmo que não desistir. Já perseverar é dar continuidade, ir até o fim. Enquanto seguir em frente se refere a um estado atual de desânimo e retomada de esforços, o perseverar é permanecer ativo após essa retomada. Em outras palavras, onão desistir é sair da inércia (quando se está parado) e movimentar-se. Já operseverar é continuar avançando, ou seja, permanecer em movimento, não parar. Ou: quem desistiu, já parou e quem não persevera, vai acabar parando.
Assim como fui tentado muitas vezes a desistir, também fui tentado a jogar tudo pro alto. Ok, tudo isso é desistir em maior ou menor grau, concordo, mas fiz a separação por questão didática e lógica. Quando a Bíblia diz “depois“, se referindo a Ana, a lição é exatamente essa: não pare. Mas, dentro desse tema, quero destacar um aspecto que merece toda a sua atenção:
não fique arrumando desculpas ou tentando encontrar bodes expiatórios para seus fracassos.
Assuma a responsabilidade pelos erros que você cometeu e pelas derrotas que sofreu. Não fique culpando ninguém pelos alvos que não atingiu ou pelos objetivos que não alcançou. O que passou, passou, deixe para lá. Ao pensar e encarar as coisas dessa forma, você se libera de uma pesada carga e pode concentrar seus esforços para tentar novamente e sem as amarras da culpa, visto que já assumiu a responsabilidade por ela, e ela deixa de ser um fantasma aporrinhando assombrando seu presente e atrapalhando seu futuro.
#fato: seu futuro depende de seu presente, e não de seu passado (guarde bem isso). Todavia, as culpas e erros do passado impactam seu presente. Livrar-se desse peso vai lhe dar uma agradável sensação de alívio e ânimo, essencial para que sua vida tome o rumo certo. Entendeu, ou quer que eu desenhe?
facing-giants

6ª. Lição: Esteja disposto a encarar os desafios da vida sem medo

Quando eu era um menino pequeno lá em Barbacena no árido sertão seridoense, eu me borrava de medo de coisas novas e diferentes. Borrar de medo é um eufemismo que se tornou realidade em uma triste manhã escolar, lá pelos idos do século passado. Mas, como um raio nunca cai duas vezes no mesmo lugar, alguns anos depois fui surpreendido por minha bexiga, que me ensinou, da forma mais contundente possível, que pra tudo tem um limite… #aff #morri
Se existe uma coisa que posso dizer com propriedade, é que a vida me ensinou várias coisas e me bateu muito. A parte de ensinar ainda acontece hoje, já a parte de a vida me bater foi mais na época da escola, se é que você me entende. Como eu era um menino mirrado, franzino e tímido (não que isso tenha mudado muito… risos), acabava sendo a presa perfeita para os rapazes maiores que queriam se auto-afirmar massacrando os mais fracos, dos quais eu era um dos principais. Deixe-me contar-lhe um episódio interessante dessa época.
Eu estudava pela manhã, no Educandário Jesus Menino e, em um recreio, saímos para brincar. Nem me lembro qual foi o motivo – e nem sei se precisava, já que valentões não precisam de motivo, apenas um pretexto já está de bom tamanho – mas um dosmafiosos valentões da turma encarnou em mim e já foi logo falando: “vou te pegar na hora da saída”. Comecei a tremer e pensar: “e agora?“. Ora, o brucutu tinha o dobro do meu tamanho, além de ser acostumado a bater nos outros.homem-violento
Eu, coitado, só tinha costume de apanhar mesmo… oh vida… Acho que só não batizei o fundo da zorba por questões logísticas: o chocolate 70% de cacau ainda não estava no ponto de calda. Foi até melhor: já pensou se, além de apanhar, eu ainda escapo fedendo? Era pedir pra apanhar de novo, ao chegar em casa ! Oh, vida cruel. Mas, dessa vez, algo diferente aconteceu. E foi algo que marcou para sempre minha vida. Foi assim, vem cá que eu conto.
Na saída, já estava quase todo mundo na espreita, porque a rádio-corredor anunciou: O fulano vai bater no Conguinha (era meu apelido na escola)! Oba, vai ter briga!Pense na cena… eu estava me sentindo um condenado no corredor da morte, apenas esperando a hora da execução que, para piorar, era anunciada com uma campainha estridente. Logo a platéia estava a postos esperando o massacre, na porta do colégio. Quando o portão abriu, o meliante, acompanhado de seus capangas de confiança, de longe, já vociferava: “Conguinha, pode correr que eu vou te pegar!
Dentro de mim nasceu um medo tão intenso que a vontade de correr era quase incontrolável. Detalhe, na época, eu ia pro colégio carregando uma mochila com vários livros, ou seja, correr estava fora de cogitação, a não ser que eu deixasse meus livros para serem trucidados pelo elemento de alta periculosidade. Quando eu estava decidindo o que fazer, uma voz dentro do meu cérebro falou mais alto do que o medo, dizendo: NÃO CORRA! E o encapetado, a certa distância, ficava rosnando: Corre, pode correr, porque eu vou te pegar! Sem opção, decidi ceder à Voz e não correr.
O infeliz, ao sairmos do colégio, correu ao meu encontro. Nesse infinitesimal milésimo de segundo, eu quase corri feito um desesperado, sabendo que ele me alcançaria e me espancaria, mas a Voz continuava firme e forte: Não corra, não corra. Não corri. O brutamontes chegou perto de mim, me deu uns safanões e me mandou correr. Eu respondi, com firmeza, “não vou correr“. Firme por fora, porque por dentro, eu estavaquase me mijando tremendo de medo. Como eu não corri, algo que ele não esperava, ojeca-tatu-cotia-não ficou todo sem graça e acabou dizendo que, daquela vez, ia deixar passar, mas que eu não abusasse.
Nuss véi! Passado o susto, eu fiquei com uma sensação de vitória, de satisfação e de superação incrível. Eu aprendi, na marra, que alguns desafios parecem insuperáveis, mas se você permanecer firme e enfrentá-los ousadamente, um milagre pode acontecer. #fikadica
Para finalizar este tópico, quero mencionar a história das mulheres aviadoras da Royal Air Force – RAF, que é um inspirador exemplo de ousadia e coragem, em momentos cruciais. Recomendo a leitura, que é pequena mas muito interessante. Essas mulheres destemidas também se tornaram responsáveis pela resistência ao nazismo em um período crítico, marcado por desafios imensos. Algumas delas aprenderam a pilotar um avião antes de dirigir um carro! Pense! Como elas não sabiam que era impossível, foram lá e fizeram.
#dica: você nunca vai saber se é capaz de realizar algo se não tentar. O mundo precisa de pessoas que façam a diferença. Mas, para fazer diferença, é preciso SER diferente. Seja um desses, que faz as coisas acontecerem e contribuem para que o mundo seja um lugar melhor. Não ligue para as vozes contrárias. Às vezes, elas só ladram alto, mas morder que é bom, nada (risos).
preparando-se-desde-cedo

7ª. Lição: Iniciar seus preparativos com antecedência

Existem mais pessoas que odeiam acordar cedo do que habitantes na terra (#exagero). Eu era uma delas. Sim, era. Afinal, acordar cedo só é ruim assim que você acorda porque, depois de acordado, passa (se não sabia disso, fique sabendo). De verdade, estou falando sério. Já precisei acordar cedo por vários motivos, sendo o mais comum por causa do trabalho. Ou seja, eu era obrigado a acordar cedo. E, creia-me, você acaba se acostumando e, depois, nem é tão ruim assim. Aliás, é até bom pra saúde. #agarantcho
Mas, quando eu decidi estudar para concursos com força total, descobri que meu desempenho não era suficiente para estar entre os primeiros. Mas, por que eu precisava ficar entre os primeiros? Boa pergunta. Seria por que eu era orgulhoso? Não. Bem… quer dizer, eu era orgulhoso, mas não era por causa disso. Seria por que eu queria aparecer? Também não. Err… quer dizer… sim e não, entende? Pois é, eu não sou o Pelé, mas tem horas que a gente fala cada bobagem, né? Bom, mas qual era o motivo então? É porque os concursos para os quais eu estava estudando tinham poucas vagas, por isso.
Nessa época, eu fiquei em um dilema: nas segundas à noite havia uma reunião de oração que eu amava participar, mas ela me tomava um tempo precioso de estudo. Eu não queria abrir mão de participar dela, mas também não podia me dar ao luxo de perder quase 3 horas de estudo. Qual seria a solução? Fazer algo diferente, de modo que eu pudesse obter resultados diferentes. E esse fazer algo diferente era diferente MESMO: tive que começar a acordar mais cedo, para estudar ANTES de trabalhar. Como meu expediente iniciava-se a partir das 7:30h, eu só tinha das 5:30h até às 6:45h.
Aquilo foi um verdadeiro teste de força de vontade. Eu ia dormir por volta das 23:30h – estudando – para levantar pontualmente às 5:30h – para estudar. Eu nem tenho palavras para dizer o quanto foi difícil, árduo e complicado ficar nessa rotina por meses. Mas, quando os frutos começaram a surgir, fez valer a pena. Algumas pessoas se surpreendem quando eu digo que fui aprovado em 6 concursos, sempre entre as primeiras 5 colocações (um , um , dois , um 4º e um  lugares). Mas, quem sabe, elas não se espantariam se soubessem o segredo do meu sucesso: iniciar a preparação com a devida antecedência.
Deixo para você uma experiência marcante, para lhe servir de inspiração. Certo dia, melhor dizendo certa madrugada, o despertador disparou pontualmente às 5:30h e me preparei para mais um dia de estudo, trabalho, estudo… Detalhe irrelevante: já era horário de verão (pense numa tribulação)! Mas, aquela madrugada teve algo de diferente, pois havia chovido a noite toda, o vento gélido uivava e o frio estava cortante. Quando eu estava me levantando, senti uma mão tocar de leve em meu ombro, e uma voz suave me dizer: “amor, durma mais um pouco, só hoje. Você tem dormido muito tarde e acordado muito cedo. Deixe só por hoje”. Pergunta boba: e se fosse com você, qual seria sua resposta? #eufalomesmo
Pois bem, a minha foi: “amor, eu preciso levantar, ainda não é tempo de parar”. E levantei. Como eu estudava do lado de fora, levei um cobertor junto das apostilas e livros, fiquei todo enrolado feito um esquimó, só com o nariz de fora, mas fui até o fim. Sim, você precisa mostrar aos outros – e a si mesmo – o que quer e o quanto quer. Isso faz toda a diferença. E o resultado? Bem, e os resultados? Aqueles 6 primeiros lugares servem?
8-)
#fato: ter inspiração é bom, mas se não houver transpiração, de pouco – ou nada – adiantará. Sem inspiração, você não conseguirá realizar algumas coisas, mas com transpiração, você conseguirá realizar quase tudo. #fikadica
adoracao-verdadeira

8ª. Lição: Cultivar uma vida de adoração e gratidão

Nesta lição não pretendo me deter, por 2 motivos. O primeiro é que quase ninguém deve estar lendo este jornal (alguém?). Segundo: eu também estou escrevendo este post há tanto tempo que nem me lembro mais quando comecei (mas isso é mais um problema de memória do que de tamanho né…).
Então, indo direto aos finalmentes, por que devemos cultivar uma vida de adoração e gratidão? Porque isso vai livrá-lo de duas coisas muito chatas e ruins para sua vida: de viver uma vida de reclamação e de ingratidão. Além de serem atitudes péssimas para quem quer viver em sociedade, faz mal pra saúde, podendo causar, com o tempo, gastrite, úlcera, hipertensão, AVC (derrame), infarto, etc.  bom ou quer mais?
Mas, como uma vida de adoração me livra de um viver de eterna reclamação? Simples: quem está adorando não tem tempo nem desejo de reclamar. Quando você está adorando, sentindo a presença de Deus, as pessoas podem até pisar no seu pé que você nem percebe (risos)!
A vida de gratidão livra você de ser uma pessoa amarga, frustrada e recalcada. Sabia que, quanto mais você é agradecido, mais você ganha a simpatia e, por tabela, favores das pessoas? O contrário também é verdadeiro: pessoas ingratas vivem levando porta na cara e dedo no nariz, o que torna o círculo vicioso.
Mas, a coisa mais importante de todas desta oitava lição é que Ana agradeceu ANTES de receber a bênção. Você já havia parado pra pensar nisso? Ana tinha apenas uma palavra, mas sua confiança a fez adorar e agradecer a Deus muito antes de haver qualquer sombra de vitória no horizonte. Você também seria capaz de agradecer a DeusANTES de a promessa dEle se cumprir? Desafiador, não?
Eu já passei por situação parecida, quando eu estava atolado em dívidas, esperando um milagre de Deus para me arrancar daquele martírio. Então eu decidi começar a agradecer a Deus antes da vitória chegar porque, dependendo do tamanho do milagre, eu iria só chorar e nem conseguiria agradecer. Por isso, deixei um crédito de gratidão com Papai, para o caso de uma emergência. Quem sabe, né? Pois é, pois foi, só sei que a vitória chegou e, bem, a vitória chegou, uai! risos
#vale a pena: você não perde nada em ser grato a Deus. Nada de bom, quero dizer. Viva ensaiando para ser um adorador em vida para que, na outra vida, você adore como quem sabe o que está fazendo e porque faz.

Conclusão

Dos que começaram a ler este post, que leram meu breve alerta lá no início, quantos conseguiram chegar até aqui? Imagino que poucos. Mas, não foi porque quero ganhar reconhecimento ou fama que investi dezenas de horas neste artigo. Investi porque quero ver pessoas sendo abençoadas, vitoriosas. E, saiba, investi MUITO. Tive que fazer escolhas dolorosas para poder concluir este artigo, vencer um estranho desânimo e falta de inspiração em escrever. Mas, insisti porque acreditava que seria importante para muitas pessoas. Você pode me dizer se meu esforço alcançou você?
Olha, eu poderia cobrar pelo que escrevo (difícil seria achar alguém que pagasse…), mas prefiro doar – pelo menos até enquanto não recebo uma oferta irrecusável, risos – porque sei que muitos que precisam não teriam como pagar. Ontem ouvi um vendedor dizendo que “tudo que é bom custa caro“. É verdade: o que eu escrevo custa muito caro para MIM. Mas, não sei se posso esperar que meus leitores valorizem meu trabalho… afinal, não custa nada pra eles e nossa tendência é valorizar só o que nos custa caro, não é mesmo?
Mas, eu creio que Deus vai abençoar alguém através deste simples texto. Se você é um desses abençoados, seria pedir muito que, depois de ter gasto quase toda sua energia mental, clicasse no +1, nas Estrelas, no Curti, no Gostei ou compartilhasse via twittercom seus amigos? Sabe por que eu peço isso? Entre outras coisas, é que o post se torna mais relevante para os motores de busca, e mais pessoas serão alcançadas e – espero – abençoadas.
Saberei quantos abençoados leram este post pela quantidade de +1, Gostei, Estrelas, curti, etc. Sei que serão poucos que lerão, gostarão e votarão. Não se preocupe: se não houver muitos votos, assumirei a culpa porque, afinal, ler um texto desse tamanho e não gostar é normal, não é verdade?
Mas, não custa sonhar que Deus vai abençoar muitas pessoas, certo? Se alguém, mesmo que seja apenas um, tiver sido abençoado com este texto, já terá valido a pena. Para mim, sim. E, se você leu até aqui, para você também.

Fonte: blog Desafiando Limites