terça-feira, 25 de setembro de 2012

“Misticismo na igreja brasileira é falso evangelho”, diz Hernandes Dias Lopes

Por Jussara Teixeira em 24 de setembro de 2012


O reverendo Hernandes Dias Lopes, da Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória (ES) escreveu em seu Facebook sobre o misticismo presente na igreja brasileira.

Segundo o líder religioso, algumas igrejas trocam o evangelho da graça por rituais estranhos às Escrituras. “O misticismo de algumas igrejas brasileiras beira ao ridículo”, afirma.

De acordo com Lopes, algumas igrejas têm entre seus líderes obreiros inescrupulosos que, em nome de Deus, “torcem a Palavra de Deus, e conduzem o povo pelos atalhos sinuosos do engano para auferir vantagens pessoais”.

Entre os elementos que associa ao misticismo, ele cita a rosa ungida, água benzida, sal grosso, toalhas suadas, que, ao seu ver, distanciam as pessoas da “pureza e simplicidade do evangelho”.

Muitos desses elementos são distribuídos e até vendidos em igrejas neopentecostais. Esse segmento da igreja evangélica estão entre os que mais crescem em número de fiéis no Brasil.

O teólogo Wemerson Marinho, em sua análise “Pontos Discutíveis do Movimento Neopentecostal” citado pelo jornalista Johhny Bernardo diz que nas igrejas neopentecostais existe a falta de uma liturgia eclesiástica e a pouca atenção dada às Escrituras Sagradas como a única regra de fé e conduta. Não somente isso, mas também a falta de estudo e discipulado consistente fazem com que os indivíduos que recorrem aos templos neopentecostais permaneçam adeptos de crendices e continuem a praticá-las.

Marinho explica que os místicos são induzidos a prescindir da Bíblia e a se basear apenas em suas experiências. “Este é um dos grandes problemas dos neopentecostais, pois eles colocam suas experiências acima da Bíblia e dão a ela uma interpretação particular fora dos recursos hermenêuticos”, diz.

Segundo Hernandes Dias Lopes, expedientes como os objetos e práticas místicas “atraem multidões, mas não levam o povo à fonte da salvação”.

“Precisamos erguer nossa voz e dizer que esse misticismo é um outro evangelho, um falso evangelho”, conclui Lopes.

Fonte: noticias.gospelmais

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

A Igreja nas Bodas do Cordeiro

Por Pr. Nonato Souza
Bodas do Cordeiro será a consumação da união mística entre Cristo e a Igreja. Acontecerá depois que a Igreja for galardoada no Tribunal de Cristo. Será conduzida ao palácio real, onde se encontra a “Sala do Banquete” (Ct 2.4), quando então, se dará início à celebração da Ceia das Bodas do Cordeiro.

Neste evento, todos os santos estarão presentes, os do Oriente e do Ocidente, tomarão lugar à mesa (Mt 8.11). “Nas Bodas do Cordeiro, a Igreja apossar-se-á de toda a sua herança como a Noiva de Cristo, e Cristo a possuirá, concretizando, assim, de maneira amorosa e eterna, o alvo maior do plano redentivo: Deus entre o seu povo, e o seu povo a desfrutar-lhe de todos os benefícios advindos desta comunhão”. [1]

Apóstolo Paulo se referiu a esta noiva quando escreveu aos coríntios: “Estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo” (1Co 11.2). Apocalipse também nos chama a atenção para o fato de a noiva já está pronta, vestida de linho fino, puro e resplandecente (Ap 19.7,8). Horton faz a seguinte observação sobre o assunto:

Os exércitos do céu, que seguem Jesus em cavalos brancos (simbolizando triunfo), estão “vestidos de linho fino, branco e puro” (Ap 19.14), identificando-os claramente com a Noiva do Cordeiro (a Igreja), que participa das Bodas do Cordeiro (Ap 19.6-9). Isto quer dizer que eles já estiveram no céu e já se vestiram plenamente com “os atos de justiças dos santos” (Ap 19.8, ARA). Isto também nos sugere que o número desses atos já foram completados e que os crentes já foram ressuscitados, transformados e arrebatados para o céu. Do mesmo modo isto implica que eles já compareceram diante do julgamento do Tribunal de Cristo (2Co 5.10). [2]

Entrada triunfal de Jesus no céu com sua Noiva.

Como dissemos acima, a celebração das Bodas seguirá os acontecimentos do Bema de Cristo, haja vista, a Igreja já aparecer adornada com “os atos de justiça dos santos” (Ap 19.8) que certamente se refere aos acontecimentos do tribunal de Cristo. Certamente será grande a alegria de todos os salvos arrebatados, quando juntos ao seu Senhor, adentrarem no céu, lugar preparado por Ele (Jo 14.1-3). Ali serão recepcionados por multidões de anjos (Ap 5.11), que os receberão com cânticos de aleluia (Ap 5.9-12), juntamente com a noiva que também cantará (Ap 5.9,10; 15.3,4).

Jesus apresenta ao Pai sua Noiva.

Durante o tempo do seu ministério terreno, Jesus fez promessas aos seus seguidores, àqueles que permanecessem fiéis, de apresentá-los e confessá-los diante de seu Pai e dos santos anjos (Mt 10.32; Lc 12.8; Ap 3.5). Naquele Dia o próprio Jesus apresentará diante do Pai, os filhos. Ele dirá: “Eis-me aqui, com os filhos que me deu o Senhor” (Is 8.18). Os olhos de Deus, o Todo-Poderoso contemplarão os salvos (Cl 1.23;1Ts 3.17), a Noiva de Cristo, seu particular tesouro (Ml 3.17).

As Bodas do Cordeiro.

O texto bíblico nos diz: “Regozijemo-nos, e alegremo-nos, demos-lhe glória, porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou” (Ap 19.7). Este acontecimento se dará no céu e será o momento triunfal da Igreja de Cristo. Ela estará livre para sempre de toda angústia, luta, pecado, etc. A Noiva está no céu. Será o casamento tão almejado e esperado. Comentando sobre o texto acima, Ciro Ziborde apresenta fatos relacionados ao referido evento:

1) A Igreja do Senhor, à semelhança de uma noiva, estará pronta, preparada para as Bodas (Mt 25.10). Ela já chegará ao local do banquete ataviada, devidamente trajada com as suas vestes nupciais. E Jesus, com grande alegria, a apresentará diante de seu Pai (Mt 10.32; Ap 3.5; Ef 5.27) e dos seus anjos (Lc 12.8).

2) Haverá grande regozijo por parte dos salvos, quando entrarem na sala do banquete (cf. Ct 2.4). Ali, entoar-se-ão cânticos de adoração ao Cordeiro (Ap 5.9-11). A alegria que experimentarão não pode ser comparada a nenhum sentimento desta vida. Daí a razão de glorificarmos ao Senhor em altas vozes.

3) A noiva do Cordeiro estará vestida de linho fino, puro e resplandecente, que representa as justiças dos santos; ou seja, ela entrará na sala do banquete galardoada, honrada pelo noivo. [3]

Os participantes das Bodas do Cordeiro.

Os participantes do referido evento constará de Cristo e sua Igreja. Dr. Pentecosts diz que “as bodas do Cordeiro constituem um acontecimento que, evidentemente, inclui Cristo e a Igreja”. [4] Ele nos informa “que a ressurreição de Israel e dos santos do Antigo Testamento não ocorrerá até a segunda vinda de Cristo (Dn 12.1-3; Is 26.19-21)”. [5] Ele continua: “Apocalipse 20.4-6 esclarece que os santos da tribulação também não ressuscitarão até aquele dia”. [6] E conclui: “Embora fosse impossível eliminar esses grupos da posição de observadores, eles não ocupam a posição de participantes do acontecimento em si”. [7]

Bodas do Cordeiro e a Ceia de Casamento.

“E disse-me: Escreve: Bem aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus” (Ap 19.9). Estudiosos opinam que deve haver distinção entre Bodas do Cordeiro e Ceia de casamento. Dr. Pentecosts enfatiza sobre o assunto:

A esse respeito parece necessário distinguir as bodas do Cordeiro da ceia de casamento. As bodas do Cordeiro referem-se particularmente à Igreja e ocorrem no céu. A ceia de casamento inclui Israel e ocorre na terra. Em Mateus 22.1-14, em Lucas 14.16-24 e em Mateus 25.1-13, trechos em que Israel aguarda o retorno do noivo e da noiva, a festa ou ceia de casamento é localizada na terra e tem referência especial a Israel. A ceia de casamento torna-se então uma parábola de todo o período do milênio para o qual Israel será convidado durante o período tribulacional, convite que muitos rejeitarão, sendo por isso lançado fora, e muitos aceitarão e serão recebidos. Por causa da rejeição, o convite será estendido aos gentios, de sorte que muitos deles serão incluídos. Israel, na segunda vinda, estará esperando que o Noivo venha para a cerimônia de casamento e o convide para aquela ceia, na qual o Noivo apresentará Sua noiva para os amigos (Mt 25.1-13). [8]

Harold L. Willmington corrobora com este pensamento. Ele faz a seguinte observação:

Em que momento o casamento torna-se público? Aparentemente, a cerimônia de casamento (a fase de apresentação) será realizada no céu em caráter privado, possivelmente logo após o julgamento bema de Cristo. O banquete de casamento (a fase de celebração) será realizado publicamente na terra, logo após a segunda vinda de Cristo. Não é por acaso que a Bíblia descreve o Milênio como imediatamente após o início do banquete (Ap 19-20). [9]

Paul Benware se une a este pensamento. Ele afirma com bastante veemência:

Como é o caso da maioria dos casamentos, uma distinção deve ser feita entre o casamento e o banquete do casamento. O casamento que une é seguido por um tempo de celebração dessa união (Ap 19.7-9). O casamento ocorre no céu, mas o banquete se dá na terra. Este grande banquete é o retrato do Reino Milenar de Cristo e talvez do reino eterno que se segue. É o retrato da grande alegria que permeará o reino do Senhor sobre todos os redimidos de todas as eras. [10]

O Dr. Pentecosts encerra o assunto observando que

Seria melhor adotar essa visão e ver as bodas do Cordeiro como o acontecimento celestial no qual a Igreja é eternamente unida a Cristo, e a festa ou a ceia das bodas como o milênio para o qual, judeus e gentios serão convidados, que ocorrerá na terra e onde o Noivo será honrado pela apresentação da noiva a todos os seus amigos que estão reunidos ali. [11]

Estou convicto que este será um evento indescritível. Será o momento triunfal da Igreja de Cristo em todo tempo. Os santos do Senhor estarão livres para sempre de todos os dissabores desta vida presente, viveremos para sempre com o Senhor, eternamente a adorá-lo para sempre e sempre! Aleluia, aleluia, aleluia!

Notas Bibliográficas

[1] Andrade, Claudionor Correia. Dicionário de Escatologia Bíblica. RJ, CPAD pg. 35
[2] HORTON, Stanley M. Nosso Destino, o ensino bíblico das últimas coisas. RJ, CPAD, pg. 82.
[3] Teologia Bíblica Pentecostal, CPAD, pg. 509,10
[4] PENTECOSTS, J. Dwight. Manual de Escatologia, uma análise detalhada dos eventos futuros. SP. Editora Vida, pg. 248
[5] Idem, pg. 248
[6] Idem
[7] Idem
[8] Idem, pg. 248,9
[9] Tim LaHaye e Ed Hindson. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica, RJ. CPAD, pg. 106
[10] Bíblia de Estudo Profética de Tim LaHaye, SP. Hagnos, pg. 1195
[11] J. Dwigth Pentecosts. Manual de Escatologia, uma análise detalhada dos eventos futuros, pg. 249


sábado, 22 de setembro de 2012

Inveja, Um Grave Pecado

Por Altair Germano

A inveja, do hebraico qinah, do grego phthonos, e do latim invidere, pode ser entendida como uma tristeza, um ressentimento pela prosperidade e felicidade do próximo. O invejoso não deseja o lugar ou os bens do outro (cobiça), mas que o outro não seja bem sucedido em suas realizações e na vida.

Conforme Champlin:
A inveja é uma das maiores demonstrações de mesquinharia humana, causada pela queda no pecado. Os invejosos chegam a fazer campanhas de perseguição contra suas vítimas, as quais, na maioria das vezes, não têm qualquer culpa por haverem despertados tal sentimento nos invejosos. Geralmente os malsucedidos têm inveja dos bem-sucedidos. Essa é uma tentativa distorcida para compensar pelo fracasso, glorificando ao próprio “eu” e procurando enxovalhar a pessoa invejada. Está baseada, portanto, na mais pura carnalidade. Muitas vítimas da inveja já descobriram que a melhor maneira de evitar o invejoso é fugir dele. Uma pessoa bem-sucedida não pode abandonar o seu sucesso, somente para satisfazer o invejoso, tornando-se um fracassado como ele [...]. A inveja tem sido motivo para muitas histórias pervertidas, para muitos dramas humanos.

Observemos a maneira como na Bíblia o tema “inveja” é tratado:
- A inveja é algo que não devemos ter em relação aos homens iníquos, perversos, violentos, pecadores, malignos, malfeitores (Sl 37.1; 72.2-3; Pv 3.31; 23.17): A aparente felicidade e prosperidade dos homens que não temem a Deus não deve despertar em nós tão pernicioso sentimento. É preciso que consideremos o fim deles (Sl 73.17-20).

- A inveja promove a competição entre os homens (Ec 4.4): As nossas habilidades, talentos, realizações e trabalhos não devem ser produzidos pela inveja, pelo desejo de superar o outro, de ofuscá-lo ou ridicularizá-lo.

- A inveja é um pecado característico do mundo pagão/gentio sem Deus (Rm 1.29): Ao escrever aos romanos ele declara que o homem sem Deus está cheio de inveja (gr. mestous phthonou, μεστους φθονου).

- A inveja é uma das obras da carne (Gl 5.21): A inveja (gr. phthonoi, φθονοι) é uma obra da carne (gr. erga tes sarkos, εργα της σαρκος, Gl 5:19). Para Barclay, a carne é “a natureza humana conforme se tornou através do pecado”.

- A inveja é o motivo pelo qual alguns proclamam a Cristo (Fp 1.15): Era “por inveja e rivalidade” (gr. dia phthomon kai erin, δια φθονον και εριν), que alguns tentavam ofender e atrapalhar a prosperidade do ministério de Paulo.

- A inveja é resultado de mentes contenciosas e entorpecidas por heresias, que usam a piedade com fonte de lucro (1 Tm 6.3-5): O entorpecimento, a obsessão, o desejo egoísta dos falsos mestres fazem nascer inveja (gr. givetai phthonos, γινεται φθονος, v. 4).

Clemente de Roma, um dos Pais da Igreja, ao escrever a sua Primeira Carta aos Coríntios, adverte acerca dos males da inveja, e afirma ter sido ela a causa do assassinato de Abel (fratricídio), por seu irmão Caim (Gn 4.3-8; 1 Jo 3.11-12), do ódio dos irmãos de José (Gn 37.3-4), da sedição de Arão e Miriã (Nm 12.1-16), da rebelião de Corá, Datã e Abirão (Nm 16.1-3), da perseguição de Saul sobre Davi (1 Sm 18.6-12). A inveja pode ter gerado a armação feita pelos presidentes e sátrapas contra Daniel (Dn 6.1-13). Foi a inveja que desencadeou o plano dos líderes judaicos para matar Jesus (Mt 27.18; Jo 11.47-53).

A inveja foi também incluída na lista dos sete pecados capitais. Os sete pecados capitais foram formalizados no século VI, quando o papa Gregório Magno, tomando por base as cartas de Paulo, definiu como sendo sete os principais vícios de conduta: gula, luxúria, avareza, ira, soberba, preguiça e inveja. A lista só se tornou "oficial" na Igreja Católica no século XIII, com a Suma Teológica, documento publicado por Tomás de Aquino. No documento, ele explica o que os tais sete pecados têm que os outros não têm. O termo "capital" deriva do latim caput, que significa cabeça, líder ou chefe, o que quer dizer que as sete infrações são as "líderes" de todas as outras.

Luís Vaz de Camões (1524-1580), poeta português, considerado uma das maiores figuras da literatura em língua portuguesa, disse: “onde há inveja, não há amizade”.

A inveja é um mal que está presente na vida em família, na vida em sociedade (escola, faculdade, trabalho, etc) e na comunidade cristã, inclusive entre os seus líderes (obreiros, ministros, etc.).

Oremos a Deus, e assim como fez Davi (Sl 139.23-24) peçamos que Ele nos sonde, e veja se em nosso íntimo há algum caminho mal, dentre os quais, o caminho da inveja, para que trilhemos o caminho da alegria e do gozo pela felicidade e pelo sucesso no nosso próximo (Rm 12.15a).

Amado irmão, caminhe firme na Palavra e confiante no Senhor, para que assim as aflições que a inveja provoca sejam superadas. Não tema os invejosos. Querendo ou não, gostando ou não, aqueles que não vivem conforme a reta justiça contemplarão o cumprimento das promessas do Senhor em nossas vidas, para a manifestação e o louvor de sua glória:

Lembrai-vos disto e tende ânimo; tomai-o a sério, ó prevaricadores. Lembrai-vos das coisas passadas da antiguidade: que eu sou Deus, e não há outro, eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim; que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade; que chamo a ave de rapina desde o Oriente e de uma terra longínqua, o homem do meu conselho. Eu o disse, eu também o cumprirei; tomei este propósito, também o executarei. Ouvi-me vós, os que sois de obstinado coração, que estais longe da justiça. Faço chegar a minha justiça, e não está longe; a minha salvação não tardará; mas estabelecerei em Sião o livramento e em Israel, a minha glória. (Is 46.8-13, ARA).

Fonte: estudogospel

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

7 Princípios Eficazes Para um Futuro Bem-Sucedido

via Desafiando Limites e Vencendo Barreiras de Wallace em 02/09/12


No Gravatar
crianca-desenhando

7 Princípios Eficazes Para um Futuro Bem-Sucedido

Instrui o menino [criança] no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. Pv 22.6 (grifo acrescido)
Inicialmente, pensei em escrever este post sobre como educar filhos cristãos, pois essa tarefa hoje não está sendo nada fácil. E educar filhos na fé, ainda mais. Todavia, conforme meditava no que iria escrever, o artigo foi tomando outro rumo. Uma coisa que também pesou foi o fato de que um dos princípios teria de ser aplicado muito cedo, ou seja, crianças maiores não poderiam – em tese – ser alcançadas. Todavia, mudando o rumo para algo mais abrangente, tanto adultos quanto crianças podem se beneficiar do post. Adultos aplicando a si mesmos, e crianças sendo discipuladas.
Antes de iniciar, orei e pedi ao Senhor que me desse sabedoria suficiente para colocar no papel um conteúdo que fizesse por merecer a inspiração que Ele me deu e o sugestivo título que deve tê-lo atraído aqui. Inclusive, essa inspiração veio numa aula da escola dominical em que falávamos sobre criação de filhos. Essa aula foi um desafio para mim, e me vali muito mais da experiência como filho trabalhoso que fui, para tentar dizer aos casais presentes como agir com seus filhos.
Todavia, confesso que minha aula não foi das melhores, aliás eu não sou um professor dos melhores. Para ilustrar a situação: eu fiz uma pergunta à classe, mais ou menos assim “Quando os filhos tomam decisões erradas, o que fazer?”. Então, uma senhora, ao lado de seu esposo, olhou bem dentro de meus olhos e me refez a pergunta: “Quando os filhos tomam decisões erradas, o que fazer?”. [silêncio] Eu fiquei olhando para ela durante alguns momentos constrangedores, tentando encontrar alguma palavra que me salvasse, mas a única coisa que consegui falar foi: “boa pergunta, minha irmã!” #saída pela esquerda! Esses alunos… fazem cada pergunta né? risos
Mas, vamos aos 7 Princípios Eficazes que vão mudar sua vida, ou não né. Mas, se, ao final deste artigo, você for abençoado, dê glória a Deus, porque Ele merece e a inspiração foi dEle. Se não for abençoado, pode reclamar comigo mesmo, porque a culpa terá sido toda minha, ok? ;¬)
way-of-sucess

1. Princípio do Planejamento

A instrução é algo, embora não pareça, complexo. Observe: existe instrução nas forças armadas, por exemplo, e elas não são realizadas de qualquer jeito, mas precedidas por planejamento, treinamento e capacitação. Eu não servi nas forças armadas (fui considerado “incapaz”, dentre outras coisas…), mas conheci muitos que serviram. Descontadas as críticas que todo ambiente onde seres humanos dividem espaço, a vida militar tem muito a ensinar, e a se planejar é uma delas.
Veja só: encontrei vários ex-militares trabalhando em órgãos de ponta do serviço público, inclusive o 1º colocado do meu cargo era oficial das forças armadas. E por que essas pessoas obtiveram sucesso, por que elas foram protagonistas de uma carreira vitoriosa? Planejamento é a resposta. Quando eu estava estudando para concursos, o dia em que era publicado o edital era reservado apenas e tão somente para PLANEJAR o que e como eu estudaria. Minhas aprovações se deram, além de um pouco de sorte, pela qualidade do planejamento realizado.
Você quer ser uma pessoa de sucesso no futuro? Então comece a planejar imediatamente: o êxito futuro é construído agoa, no presente. Um dos grandes gurus motivacionais da atualidade, John Maxwell, afirma: O sucesso de amanhã começa hoje.
its-time-planning

2. Princípio da Tempestividade

A ciência descobriu, há algum tempo, que as crianças aprendem mais e melhor até uma certa idade. Não sei afirmar ao certo, mas algumas pesquisas apontam que, para o aprendizado de idiomas, por exemplo, há bastante facilidade até os 6 anos (fonte). Logo, o que aprendemos aqui, quando o verso cita “menino”, é que há um tempo propício para que o aprendizado seja mais eficaz. E não apenas isso está implícito: se perdermos o “timing”, ou seja, o tempo certo e oportuno, os esforços podem ser em vão ou, pelo menos, produzir menos resultados. E, caso você ainda não saiba, desperdiçar oportunidades é algo muito doloroso.
Já vi muitas – muitas – pessoas alegarem que não conseguiram realizar determinada tarefa ou concluir um projeto por falta de tempo. Para ser sincero, eu mesmo já fiz uso dessa desculpa esfarrapada. Mas, qual é o segredo para se obter êxito diante dos desafios constantes que nós enfrentamos quase todos os dias? Simples: quando você se planeja, você está se pré-parando, ou seja, antecipando-se para aproveitar a oportunidade, assim que ela der as caras. O planejamento é o perfeito aliado para que você não perca tempo quando a porta se abrir diante de você.
Aprenda: o seu futuro será bem-sucedido se você não perder tempo e souber aproveitar as oportunidades. Mas, não se iluda: somente aproveita bem as oportunidades quem estiver preparado (quem se planejou). E quem se prepara, não se preocupa. Entendeu?
oportunidades

3. Princípio da Supervisão

Existe um algo muito importante e que precisa ser enfatizado e esclarecido nesta receita para o sucesso: você precisa de auxílio para chegar lá. Não se iluda: você não vai conseguir sozinho. Ninguém consegue. Então, seja humilde: aceite e peça ajuda sempre que necessário ou quando você estiver em apuros ou simplesmente perdido, sem saber o que fazer ou para onde ir. Se você é, por exemplo, um pai que está ensinando seu filho a ser bem-sucedido na vida futura, saiba que se ele for deixado à deriva, as chances dele fracassar e naufragar são grandes.
Perceba que esta pequena palavra “NO” (em + o) possui grande significado: acompanhamento, supervisão, orientação, correção, direção, motivação, obediência, disciplina, exemplo e proteção, entre outras mais. Se você está sendo discipulado e disciplinado, observe quanto você pode ganhar se dispuser da companhia de um líder exemplar e que segue aquilo que a Palavra de Deus preconiza. Se você, todavia, está tutoriando alguém, ensiando-lhe o “caminho das pedras“, esteja bem consciente do tamanho da responsabilidade que pesa sobre seus ombros.
Espero que você esteja atento ao que está sendo ensinado aqui, pois cada lição tem sua importância dentro do contexto maior que é o sucesso futuro. Elas estão interligadas, você está percebendo? É como se a lição seguinte fosse – e é mesmo – uma a sequência da anterior, como uma escada onde cada degrau faz você subir mais um pouco em direção a um futuro brilhante e excitante! E esse, meu amigo, pode ser o seu futuro, e meu desejo é que seja. Vai depender muito de você, e de quanto você está disposto a seguir estas dicas. Você está disposto?
alvos e metas

4. Princípio da Objetividade

Não adianta tentar fugir do óbvio: o verso que inspirou este post foi direcionado aos educadores que querem ver seus filhos crescendo, amadurecendo e vencendo as barreiras que a vida impõe. E, por isso, volto a enfatizar o princípio da tempestividade: não perca tempo e nem desperdiçe oportunidades!
Caminho, nesse contexto, pode se referir a OBJETIVOS e ALVOS. Então, combinando este (Objetividade) com aquele (Tempestividade), conclui-se que é necessário estabelecer Alvos, Metas e Objetivos o quanto antes! Quando você tem alvos e objetivos bem definidos, fica muito mais fácil continuar focado em atingi-los.
A maior parte (se não quase tudo que conheço) das coisas boas da vida, pelo menos aquelas duradouras e que trazem satisfação e senso de realização, não se conseguem sem que seja feito um bom planejamento e os objetivos tenham sido bem definidos. Não raro ouvimos de grandes atletas que foram, surpreendentemente, derrotados. A explicação? Desconcentraram-se e perderam o foco.
Você quer ser bem sucedido no futuro? Primeiro: estabeleça alvos e objetivos. Segundo: não perca o foco.
pessoa-responsavel

5. Princípio da Responsabilidade

Esses dias ouvi uma frase muito interessante: a responsabilidade traz maturidade. Em outras palavras, o tempo aumenta a idade, mas para se aprender a ter mais compromisso com seus objetivos, é preciso assumir novas responsabilidades. É muito provável que eu esteja muito próximo de falar (mais) bobagem, mas vou arriscar mesmo assim:
um adulto de sucesso e uma criança que aprendeu a ser responsável e encarar desafios. E o contrário também e verdadeiro: adultos irresponsáveis são crianças que só cresceram em tamanho, mas estagnaram emocionalmente, justamente porque não quiseram assumir responsabilidades e sair do comodismo.
Este princípio está revestido de tal importância que vou tomar a liberdade de fazer uma afirmação contundente: de pouco adiantará um bom planejamento, feito no tempo certo, com a supervisão adequada e objetividade necessária se não houver compromisso (responsabilidade) por parte daquele que deve executar o projeto.
A medida de seu sucesso será na mesma proporção de seu compromisso em transformar seu sonho em realidade. Sonhar é bom – e faz bem, mas ao sonhar, permaneça com os pés no chão e não fique de braços cruzados. Seu futuro vai agradecer, e muito.
ayrton-senna

Princípio da Dedicação

Ok, você entendeu que, para coroar de êxito seu planejamento é preciso ter – muita – responsabilidade. Sim, é isso mesmo. Mas (ah… lá me vem ele com mais um mas, dirá você), você ainda precisa de algo mais. Na verdade, de um plus a mais. Você precisa suar a camisa. A inspiração é muito – muito mesmo – importante, mas se não houver transpiração, ela se esvanece e se perde no tempo e no espaço. E, depois de tanto trabalho, você não quer isso, não é mesmo?
Quando a Bíblia diz “ANDAR“, está se referindo a várias coisas, e todas elas envolvem ação. E não somente ação, mas uma ação que requer esforço, dedicação. “Andar” envolve, principalmente, três coisas:
1. Tentativa & Erro: analise como uma criança aprende a andar. Ela começa de forma tímida, desengonçada até, segurando-se nos móveis para tentar se equilibrar e dar os primeiros passos. Eu me lembro de meus irmãos dando os primeiros passos: era emocionante. Só porque você errou, não quer dizer que não pode acertar da próxima vez. Tente novamente.
2. Não Desistir: talvez isso não aconteça com todas as pessoas, mas eu sou muito tentado a desistir. Quando as coisas demoram a acontecer, é difícil ficar insistindo, não é verdade? É muito bonito escrever “não desista“, mas ficar lutando interiormente com nossas dúvidas e tentando tapar o sol com a peneira. Quando você estiver pensando em desistir, seja sincero consigo mesmo. Quando eu fui tentado a jogar tudo pro alto, um sonho mudou meu pensamento e persisti até que as coisas mudaram. Sim, se eu venci, você também pode.
3. Seguir em Frente: uma das coisas que mais nos desanima é ficar lembrando dos fracassos do passado e ser tentado a estagnar, parar no tempo. Todavia, ficar remoendo o que ficou para trás não vai fazer seu futuro melhor. Você terá um futuro para usufruir se tornar seu presente um motivo de luta e perseverança. Você pode tentar de novo quando cair, você pode não desistir mas essas coisas somente serão úteis se você estiver focado no futuro. E o futuro, caso ainda não tenha se dado conta, se conquista seguindo em frente.
confidence-future

7. Princípio da Confiança

Esse verso traz algumas palavras de poucas letras, mas de grande significado, não é verdade? Quem diria que “NO” teria tanto a nos ensinar, concorda? E o que você aprende com “ATÉ“? Ora, ao se falar de até eu penso emsituações difíceis que terão um final feliz. Quando você colocar todas essas dicas em prática, suas chances de sucesso serão muito grandes. Claro, pode ser que você não conquiste tudo o que você planejar, mas você vai conseguir ter um futuro muito melhor do que se ignorar ou fizer o contrário do que lhe propus.
E, merece ser dito, nem sempre aquilo que queremos hoje é o melhor para nós, e só vamos descobrir isso depois de algum tempo. Em outras situações, aquele não é o melhor momento. Mas, se fizermos aquilo que tem que ser feito, podemos confiar que vamos receber algo que vai dar significado e satisfação a nossa vida. Confiar em Deus e obedecer Sua palavra os dá essa segurança: nosso amanhã vai ser bem melhor do que nosso hoje, mesmo que o hoje esteja encoberto por muitas nuvens de desconfiança e dúvidas.
Mas, confiar não é uma tola credulidade em que as coisas vão acontecer no ‘automático’. Não, senhor. Confiar na Palavra de Deus é seguir as orientações prescritas e crer que os resultados virão. Sem estresse, sem ansiedade, apenas confiando e crendo.

Conclusão

A vida é muito mais complicada do que queremos, e não é possível fazer um manual de regras a serem seguidas e esperar que tudo funcione como um relógio. Não, infelizmente ou não, a vida não é assim. Ela é complexa, complicada e… emocionante também. Cheia de surpresas e novidades. Sim, é verdade: nem sempre as surpresas são agradáveis, mas os desafios nos obrigam a desafiar e superar nossas limitações e atingir novos patamares. É assim que é a vida, e é assim que a vida é: cheia de dores, odores, sabores, dissabores e descontroles.
Mas, creia-me: vale a pena viver. Vale a pena continuar lutando por dias melhores e crer que há um futuro melhor para nós. Se você estiver lendo esta mensagem em seu próprio computador, com acesso à internet, saiba que seu hoje JÁ é melhor do que os de muitos milhões ao redor do globo. Talvez eles se sentissem realizados tendo o que você tem. Assim, antes de ficar reclamando da vida que você vive, comece a agradecer por ela, pois isso vai fazer não apenas seu futuro ser melhor, mas e principalmente, seu presente. E sabe quem vai notar isso até mesmo antes de você? As pessoas que lhe cercam.
Para finalizar, gostaria de dizer que muito do que foi dito (ok… escrito) aqui possui amplo respaldo, seja na ciência moderna, seja na experiência prática ou na lógica. Existem muitos palestrantes profissionais ganhando muito dinheiro repetindo essas mesmas verdades que você acabou de ler. Sim, reconheço: ditas de modo diferente, mas a essência é a mesma. E as pessoas pagam para ouvirem isso. E saem satisfeitas das palestras. Talvez você me pergunte: “mas, se você tem tanta certeza de que isso é tiro e queda, por que você também não dá palestras sobre esses assuntos e ganha dinheiro com isso?”. Pois é, boa pergunta… risos
Em primeiro lugar, não tenho presença de palco para dizer essas verdades e ganhar dinheiro por isso. Acrescente a isso o fato de eu duvidar de que exista alguém louco varrido suficiente que esteja disposto a me pagar para eu ficar falando o óbvio enquanto faço piadas sem graça, entre uma presepada e outra… você pagaria? Pois é, foi o que pensei.
Finalmente, eu quero que o maior número possível de pessoas sejam beneficiadas sabendo dessas verdades. Ora, se eu escrevo de graça, quase ninguém lê, gosta, comenta e indica, e se eu cobrasse? Entendeu né… risos
Bom, como você não vai me pagar uma viagem pra Cancún ou Aruba, nem me dar aquela TV LED de 84′ recém lançada, eu ficarei satisfeito se você deixar um comentário, dar uma curtida, um gostei, avaliar o post nas estrelas, +1, etc. #cara de pau
Agora sério: coloque as dicas em prática hoje. Ficarei feliz em receber sua mensagem amanhã me dizendo:
Wallace, obrigado, eu não entendi quase nada do que você escreveu, mas tomei vergonha na caraatitude e minha vida mudou pra melhor!
Isso já vai me fazer muito satisfeito, mais do que um ingresso de uma palestra. Mas… se quiser me dar aquela viagem pra Aruba, tô aceitando de muito bom grado, humildemente, mas tô. (risos)
aruba-vacation
Fonte:  desafiandolimite­s.­com