segunda-feira, 4 de julho de 2011

REVESTI-VOS DE TODA A ARMADURA DE DEUS (07)

A Espada do Espírito (Ef 6.17b). “... e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus, orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Ef 6.17,18).

As armas mencionadas na armadura de Deus eram defensivas, porém, a espada é uma arma tanto defensiva quanto ofensiva para uso do crente na guerra contra o poder do mal. A palavra de Deus é uma espada penetrante. Segundo o comentário Bíblico Pentecostal a palavra usada para “espada” (machaira) denota a pequena espada ou adaga (que media entre 30 35 cm) que o soldado usava para repelir o inimigo em combates corpo a corpo, e não a espada longa usada para matá-lo (rhomphaia). Com esta espada o soldado não apenas defendia, mas também irrompia as fileiras inimiga, em busca da vitória.

Esta é uma arma poderosa que a igreja recebe não apenas para se defender, mas, contra-atacar os poderes do mal. Somos vencedores sobre os ataques do diabo por meio da Palavra. Pela Palavra saqueamos o reino das trevas, a casa do valente, e libertamos os cativos que se encontram encarcerados.

Usemos a palavra para “contra-atacar com a verdade quando somos tentados ao mal; contra-atacar com a verdade quando a igreja é atacada por falsos ensinamentos; contra-atacar cm a verdade quando os poderes tentam impregnar o mundo à nossa volta com estranhas filosofias e ensinos éticos discrepantes; e finalmente lançar golpes vigorosos pela liberdade com a destemida proclamação da verdade cristã tal como Paulo nos encoraja nos v. 19,20” (D. A. Carson).

Na tentação do deserto, Jesus usou o poder da Palavra e Satanás foi derrotado (Mt 4.10,11). É através do uso da palavra que podemos repelir todo e qualquer ataque de Satanás e seus demônios. Seja qual for, a forma de tentação que nos sobrevenha com objetivo de nos levar ao desespero, fracasso, descrença, cobiça, orgulho, mundanismo, pode ser destruída pelo poder da Palavra de Deus.

A espada do Espírito é ainda uma arma poderosa para a salvação dos pecadores, pois a mesma revela Cristo, e liberta o homem do poder do pecado (Jo 8.32).

Vigilância através da oração, uma advertência para nossos dias (Ef 6.18). Apóstolo Paulo deixa, ao concluir este ensino sobre a armadura de Deus, uma recomendação muito importante aos santos que militam, e à igreja: “Orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Ef 6.18). Esta recomendação de Paulo sobre a oração tem sido motivo de muitos debates. Para alguns, esta é a última arma da guerra espiritual. “Não se deve entender que a oração é a sétima parte da armadura, nem especificamente que a oração é o meio de vestir as seis, mas que a oração está proximamente associada a elas” (D. A. Carson).

Se deixarmos de lado a oração e a vigilância, segundo nos ensina Paulo, estaremos sujeitos ao fracasso total. Não seremos capazes de vencer as aflições do tempo presente. Orar no Espírito significa ser guiado e fortalecido pelo Espírito Santo em oração. Recorrendo novamente ao Comentário Bíblico Pentecostal, encontramos o seguinte: “uma frágil vida de oração e de súplicas ocasionais “como uma lista de supermercado”, certamente não será eficiente na guerra espiritual. Precisamos nos inclinar mais intensamente á oração no Espírito e pelo Espírito, em nossas orações e intercessões pessoais ou comunitárias. Paulo tem um “foco duplamente dirigido” para que os crentes perseverem em oração: Ele exorta cada indivíduo e a igreja a orar a favor de todos os santos envolvidos na guerra espiritual. No verso 18, a palavra “todos” ocorre quatro vezes em grego (a terceira vez é interpretada como “sempre” na NIV) – orar “em todo tempo” (regular e constantemente), “com toda perseverança e súplica” (indicando intensidade e eficácia), “vigiando nisso com toda perseverança” (demonstrando persistência e vigilância) e “por tidos os santos” (por causa dos ataques de Satanás contra a Igreja)” (Comentário Bíblico Pentecostal pg 1268,1269).

Por fim, precisamos orar intensamente com o objetivo de que o evangelho seja anunciado de maneira destemida. É isso que Paulo pede aos crentes efésios (Ef 6.19) e é disso que precisamos com urgência em nossos dias.

Concluímos enfatizando que estamos envolvidos numa guerra espiritual, somos atacados a cada momento por nossos inimigos. Satanás sempre está ao nosso derredor rugindo como Leão buscando a quem possa tragar. Os desejos corruptos dentro do próprio homem, os prazeres ímpios do mundo e todos os tipos de tentações que nos cercam, enfim, são ataques os mais grosseiros e sutis possíveis, tentações, opressões, obsessões, depressões, etc. A luta contra os nossos inimigos é ferrenha, e muitas vezes somos atraídos pelas ofertas deste mundo, que nos querem tirar de nossa posição em Cristo. Sendo assim precisamos urgentemente do revestimento da armadura de Deus, para podermos lutar e vencer. Somos exortados pelo apóstolo Paulo a tomarmos toda armadura de Deus para que possamos resistir no dia mal e havendo feito tudo ficar firme.
Que o Senhor nos ajude a vencermos sempre por Jesus Cristo, nosso Senhor.

Pr. Nonato Souza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário