quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

“COM ESTES TREZENTOS VOS LIVRAREI”


No texto de Juizes 7.7 temos esta palavra de Deus dada a Gideão. Meditemos sobre o assunto.
Mais uma vez Israel se desvia dos caminhos do Senhor, se envolvendo com outras nações e pecando contra Deus. O pecado cometido por Israel contra Deus o levou ao estado de escravidão. Os midianitas roubavam suas colheitas, tomavam seu gado e os forçava a se esconderem em covas e cavernas. Debaixo de tamanho julgo os Israelitas clamam ao Senhor na angústia, e mais uma vez Deus lhes é compassivo e misericordioso. Deus está sempre pronto a abençoar seu povo quando este o busca de todo coração. O profeta Jeremias enfatiza: “E buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.”

1. A situação do povo de Deus.
Fizeram o que parecia mal aos olhos do Senhor (Jz 6.1);
O Senhor os entregou nas mãos dos Midianitas por sete anos (Jz 6.1);
Os inimigos destruíam de Israel toda a novidade da terra e não deixavam nem ovelhas, bois e jumentos (Jz 7.3,4);
Chegando a empobrecer muito pela presença dos inimigos (Jz 6.6);

2. Israel Clama ao Senhor
Este foi o ultimo recurso de Israel, e só o fez devido a opressão que sofria (v.7);
Israel só buscava ao Senhor nos momentos de aperto;
A fé dos israelitas não era originada no amor e gratidão a Deus, mas em desejos e ambições egocêntricas;
Somos exortados pelo Senhor a buscá-lo não apenas por aquilo que recebemos ou por aquilo que ele tem feito por nós, mas porque realmente o amamos;

3. Deus levanta um homem chamado Gideão. Quem era Gideão?
Gideão vivia em Ofra, povoado que ficava ao sul do vale de Esdrelon (v.11);
Gideão trilhava o trigo, não na eira publica, por medo dos Midianitas, mas num lugar escondido (v. 11);
A saudação do anjo foi profética, pois, naquele momento Gideão não era corajoso nem esforçado (v.12);
Gideão culpou Jeová pelos acontecimentos sucedidos, não percebendo que Israel havia se esquecido de Deus (v.13).

4. A prova de Gideão e os passos para a vitória.
Gideão derruba o altar de Baal por ordem do Senhor (vv. 25-29);
O Espírito do Senhor reveste Gideão (v.34);
Gideão faz prova de Deus com o velo de lã (v.36-40).

5. A Guerra e a vitória de Gideão.
O exército de Israel era inicialmente composto de 32.000 israelitas;
Jeová viu que Gideão tinha soldado demais para o tipo de vitória que ele queria lhe conceder (v.2);
O exercito de Gideão era composto de muitos homens medrosos e tímidos que receberam ordens para voltar (v.3;Dt 20.1-8);
Ficaram então, dez mil soldados, que embora fossem valentes e corajosos Deus quis reduzir ainda mais o seu exercito (v. 4; 1Sm 14.6);
Deus queria tratar com os mais aptos, então envia os dez mil às águas para ali os provar (v.4);
A palavra de Deus a Gideão é: “aquele que lamber a água com sua língua como o lambe o cão, põe de parte” (v.5). Como também todo aquele que se abaixar de joelhos a beber (v.5);
Desses dez mil que foram à fonte, apenas 300 lamberam as águas levando a mão à boca (v.6);
Estes trezentos estavam aptos. Em todo o momento estavam estes preparados para responder ao seu chefe;
Então disse Deus a Gideão: “Com estes trezentos os livrarei” (v.7)

6. Lições que podemos extrair deste episódio.
A igreja não precisa de pessoas indispostas a ariscar-se na obra do Senhor;
Numa guerra espiritual a qualidade é mais importante que a quantidade;
Deus queria atribuir a vitória para glória do seu nome e não à glória de homem algum (1Sm 14.6)

Conclusão: Você está disposto a fazer parte deste pequeno grupo de homens, porém, capazes de lutar em prol do reino de Deus seja qual for à situação? Deus está recrutando soldados que tenham disposição para lutar. Aqui e agora, venha fazer parte deste exército qualificado e preparado para vencer.

Pr. Nonato Souza.

HORA DE RENOVAR AS FORÇAS


O texto de Isaias 4.28-31, nos fala sobre a renovação das nossas forças. É interessante observar o que diz especificamente o versículo 29, no qual meditaremos: “Dá vigor ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor”. Um ano se finda e outro ano se aproxima, olhamos com perspectivas e até fazemos planos, desejando realizar algo mais para Deus e seu Reino aqui na terra. Sabemos que para isso precisamos manter as nossas forças sempre renovadas. Qual seria a razão de permanecermos sempre ativos, sem esmorecer, na obra e no caminho do Senhor, mesmo quando enfrentamos momento de crises e terríveis adversidades? A Escritura, nos dar resposta a esta pergunta. Há um Deus no céu, que domina sobre todo o Universo, o seu braço forte e estendido cerca todos os que lhe pertencem.
Um princípio básico para termos as nossas forças renovadas é esperarmos no Senhor. Esperar no Senhor é confiar nossa vida plenamente às suas mãos. É depender dele como nossa fonte de ajuda e de graça, em tempos de necessidades (Sl 25.3-5; Lc 2.25,38). Precisamos exercitar a nossa fé nas promessas de Deus, encomendando a nossa vida por inteiro a Ele, o que significa que sempre que necessitarmos de socorro Ele será a nossa fonte segura de ajuda (Sl 116).
Deus conhece a nossa estrutura e a necessidade que temos de constante renovação em meio ao cansaço e à fraqueza decorrente do sofrimento, das provações e das dificuldades. Portanto, cremos que seremos reanimados pelo seu poder, que receberemos do Espírito de Deus uma nova “carga de energia”, para que as nossas “baterias”: fé, vida de oração, devoção, revestimento de poder, etc, sejam recarregadas. Precisamos trocar as nossas forças (na verdade, fraquezas), pela força de Deus (2 Co 12.9), pois Ele é como o sol que possui luz própria. Como o Senhor dos Exércitos, Ele deseja lutar por nós (Sl 37.5).
Na verdade, a igreja precisa ter suas forças renovadas pelo Senhor. Isto é avivamento, avivamento que produz no corpo de Cristo, um novo sentido de responsabilidade com a sua tarefa evangelizante. Sua prioridade principal volta a ser a pregação poderosa do evangelho com a operação de sinais e maravilhas. A expansão do Reino de Deus passa a ser meta principal. Com colírio recebido do céu (Ap 3.18), começamos a ver campos que já estão brancos para a ceifa, visão dos perdidos, das nações em decadência, famintos espirituais, órfãos por toda parte, dos soluços de toda raça. Esta é a renovação que precisamos urgente.
O cristão é uma pessoa destinada a vencer. Ele se transferiu da esfera da derrota, sob o jugo de Satanás, para o Reino de Deus que é basicamente, um reino de vitórias. Pela Palavra de Deus somos ensinados a crê que Deus nos torna mais que vencedores (Rm 8.37). Somos vitoriosos contra todas as forças do mal, contra todos os poderes de Satanás (Ap 12.10,11), contra todos os inimigos (Sl 44.5) e até sobre a morte (1Co 15.52,57). Só o Senhor nos proporciona renovação de forças, ânimo, disposição, esperança, alegria, etc. Busquemos do Senhor, renovação para este novo ano que se aproxima, pois só Ele “Dá vigor ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor” (Is 40.29).

Nonato Souza é pastor da Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Brasília em Brazlândia – DF, Coordenador do Setor VII, Graduado em Teologia, Email –pr.nonatosouza@gmail.com.br