Aborrecendo o mal e apegando-se ao bem







Po Nonato Souza

O texto bíblico nos orienta: “Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem” (Rm 12.9).

Não é o bastante que o homem ame a justiça é necessário também que aborreça o que é mal. O maior, exemplo, temos no Senhor Jesus. Ele não somente amou a justiça e aborreceu o que é mal, mas demonstrou ambos com igual intensidade.

O amor que temos depositado em nosso coração levar-nos-á a repelir o que é mal e nos levará ao apego do bem. Quando o homem ama a Deus, não estará satisfeito apenas em agradá-lo fazendo o bem, mas terá dentro de si algo da atitude de Deus para com o mal, reconhecendo quão destruidora força é o mal, lutando sempre contra os interesses da alma.

Quando amamos verdadeiramente nosso semelhante, não iremos fazer absolutamente nada que venha trazer prejuízo a este, tendo convicção do que está escrito: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”, e que este amor não pratica o mal contra o próximo.

Deteste sempre o mal, tenha repulsa a todos os atos e ações que estejam relacionados com o mal, se assim fizermos com todas as nossas forças, só nos restará o caminho de fugir para o bem, apegando-nos ao mesmo.

O amor verdadeiro se origina quando repelimos toda forma de mal e nos apegamos ao bem, sendo este bem praticado não por formas egoístas que é próprio do ser humano sem Deus. O amor é um bem inerente, e, por sua própria natureza, repele o mal.

Quando amamos de verdade nos apegamos ao bem e fugimos para o bem. Sejamos pessoas apegadas ao bem e, detestemos o mal. Lembre-se: Nos evangelhos o amor é um princípio moral, e semelhante a Cristo, o qual é o único exemplo perfeito de amor e que nunca tolerou o mal.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O líder de mocidade e o seu papel na Igreja hoje

“Porque é tempo de buscar o Senhor...”

"Salvai-vos desta geração perversa"